Gospel Prime

Após 3 anos preso por “blasfêmia”, cristão é libertado no Paquistão

today23 de fevereiro de 2023 8

Fundo
share close

Sunny Waqas, um católico paquistanês que passou mais de três anos na prisão por uma acusação infundada de blasfêmia contra o Islã, teve que pagar uma quantia exorbitante de fiança para ser solto este mês.

Segundo sua advogada, Aneeqa Maria, a fiança imposta pelo juiz da bancada de Bahawalpur do Tribunal Superior de Lahore foi de 4 milhões de rúpias (US$ 15.200), um valor muito acima do máximo estabelecido pela Seção 295-C das leis de blasfêmia do país, que é de 500.000 rúpias (US$ 1.900).

De acordo com o The Christian Post, Maria afirmou que o juiz parecia querer impossibilitar a libertação de Waqas, estabelecendo um valor de fiança impossível para sua família extremamente pobre, cujo pai é paralítico.

O juiz concedeu fiança porque o julgamento contra Waqas não foi concluído no prazo obrigatório de dois anos, mas a advogada destacou que os tribunais rotineiramente rejeitam os recursos de fiança de suspeitos de blasfêmia, especialmente quando as acusações são feitas sob a Seção 295-C, onde a punição é a morte e o crime é inafiançável.

A fiança exorbitante foi a mais recente de uma série de irregularidades revelando preconceito e discriminação contra Waqas, segundo Maria. Desde o início do caso, o tribunal superior de Bahawalpur adotou uma abordagem altamente preconceituosa em relação a eles, chegando a ameaçá-los e intimidá-los. Durante a audiência de fiança, um juiz chegou a dizer a Maria que ela poderia ser queimada viva por prosseguir com o caso em Bahawalnagar e Bahawalpur, pois as pessoas ficam muito emotivas quando se trata de assuntos religiosos.



O advogado também destacou que o caso de Waqas mostra como os tribunais ignoram deliberadamente a lei constitucional e processual ao lidar com casos de blasfêmia, especialmente contra cristãos. Maria enfatizou que os tribunais paquistaneses frequentemente violam a Seção 156 do Código de Processo Penal, que estabelece que um tribunal superior não tem poder para interferir na investigação policial e assumir o papel de investigador.

Embora haja casos em que suspeitos de crimes inafiançáveis, incluindo assassinato, podem receber fiança de acordo com a terceira cláusula da Seção 497 (1) do Código de Processo Penal, Maria destacou que os tribunais paquistaneses tendem a rejeitar recursos de fiança em casos de blasfêmia. Ela afirmou que os tribunais rotineiramente adotam uma abordagem preconceituosa contra cristãos e outros grupos minoritários no país, e disse que o caso de Waqas é apenas um exemplo das grandes injustiças cometidas contra eles.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Gospel Prime.

Por: Redacao

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ongs-usam-verbas-publicas-para-estimular-o-uso-de-drogas

Pleno News

ONGs usam verbas públicas para estimular o uso de drogas

Marco Feliciano - 23/02/2023 15h35 Entidade distribuiu kits com itens para uso de drogas Foto: Reprodução/Instagram ELRD Como sempre, a sociedade cria serpentes para atacar o próprio povo. O fato a que me refiro são ONGs que usam verbas públicas para estimular o uso de drogas pelos nossos jovens. Esses dias, uma dessas ONGs, a Organização Escola Livre de Redução de Danos, com sede na cidade de Olinda, em Pernambuco, […]

today23 de fevereiro de 2023 16

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%