G1 Mundo

Após dois anos de crise diplomática, Espanha e Marrocos selam reconciliação

today2 de fevereiro de 2023 9

Fundo
share close

Os dois países, muito próximos geograficamente, haviam rompido relações diplomáticas em 2021 por conta do apoio de Madri ao Frente Polisário, um grupo separatista local.

Acompanhado de 12 de seus ministros, o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, presidiu uma “reunião de alto nível” com seu homólogo marroquino, Aziz Akhannouch, em Rabat.

Foi a primeira entre os dois países desde 2015.



“Hoje consolidamos (…) a nova etapa que abrimos nas relações entre Marrocos e Espanha“, declarou Sánchez, que falou do “enorme potencial que resta a ser explorado nesta relação”.

Marrocos e Espanha travam há décadas um embate por conta da disputa territorial sobre o Saara Ocidental. A região, ex-colônia espanhola, é parcialmente controlada por Marrocos, que quer o governo total da área.

A Espanha sempre apoiou a realização de um referendo de autodeterminação, há anos reivindicado pelo Frente Polisário, que em 1985 entrou em uma guerra contra o Marrocos por cerca de 15 anos.

As tensões se acirraram em 2021, depois de o governo espanhol autorizar que o líder do Frente Polisário entrasse na Espanha para tratar um problema de saúde em um hospital de Madri. A permissão revoltou o governo marroquino, que, segundo a imprensa espanhola, liberou, em retaliação, que milhares de imigrantes cruzassem a fronteira entre o Marrocos e os enclaves de Ceuta e Melilla.

Desde então, ambos tentam, sem sucesso, um acordo pelo controle da área.

Mapa com localização de Ceuta e Melilla — Foto: Elcio Horiuchi/G1

Os dois países compartilham a menor distância entre a África e a Europa, no estreito de Gibraltar, o canal que separa o Mar Mediterrâneo do Oceano Atlântico. No trecho mais curto, a distância é de menos de 14 quilômetros, e a costa marroquina é visível a olho nu de praias do extremo sul da Espanha.

Em 2022, Pedro Sánchez começou a ensaiar uma reaproximação e aceitou apoiar oficialmente um plano de autonomia do Marrocos para o Saara Ocidental. Mas o desfecho não agradou a todos na Espanha.

O partido esquerda Podemos, membro da coalizão do governo e que controla vários Ministérios, não quis participar da viagem a Rabat. O Podemos foi contrário ao apoio de Sánchez ao plano de autonomia marroquino.

A oposição conservadora viu sinal de fraqueza política no acordo e também criticou o fato de Sánchez não ter sido recebido por Mohammed VI no encontro desta quinta-feira.

“A ausência de Mohamed VI mancha a cúpula hispano-marroquina”, noticiou o jornal El País (centro-esquerda).




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

dia-da-marmota:-phil-ve-sombra-e-indica-inverno-mais-longo-nos-eua

G1 Mundo

Dia da Marmota: Phil vê sombra e indica inverno mais longo nos EUA

Este é o 137º prognóstico climático da marmota, de acordo com organizadores do evento. O evento tornou-se popular no mundo inteiro pela comédia cinematográfica "Feitiço do Tempo", de 1993. Nela, o personagem principal, interpretado por Bill Murray, fica preso num loop temporal e todo dia, quando acorda, está novamente revivendo o Dia da Marmota. O evento anual em Punxsutawney, cerca de 105 km de Pittsburgh, originou-se de uma lenda alemã […]

today2 de fevereiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%