G1 Mundo

Após perda histórica nas eleições da África do Sul, partido de Mandela terá que disputar a presidência com oposição

today2 de junho de 2024 5

Fundo
share close

O anúncio oficial da contagem dos votos neste domingo (2) confirmou que a sigla conquistou 159 cadeiras das 400 na Assembleia Nacional do país, segundo a agência Reuters. O valor é uma perda significativa em comparação com a última eleição, quando o partido conquistou 230 assentos do legislativo.

Sem maioria, o ANC confirmou que fará uma coalizão com um ou mais partidos de oposição, desde que o atual presidente não seja substituído.

Após a divulgação do resultado, Ramaphosa disse que, apesar da derrota do partido, o resultado da eleição foi uma vitória para a democracia. “O que esta eleição deixou claro é que o povo da África do Sul espera que seus líderes trabalhem juntos para atender às suas necessidades”, afirmou.



A justificativa para o declínio do partido de Nelson Mandela (1918-2013), símbolo da luta pelo fim do regime de segregação racial, é a insatisfação da população sul-africana com desemprego, desigualdade e escassez de energia.

Na contramão, o principal partido da oposição, a Aliança Democrática (DA), angariou 21,7% dos votos, enquanto o uMkhonto we Sizwe (MK), um novo partido liderado pelo ex-presidente Jacob Zuma, conseguiu 14,6%.

Já o grupo de extrema esquerda Economic Freedom Fighters (EFF), liderado pelo ex-líder da juventude do ANC, Julius Malema, obteve 9,5%. O pequeno Inkatha Freedom Party (IFP), um partido conservador zulu com uma base de poder na província de KwaZulu-Natal obteve cerca de 4% dos votos.

“Podemos falar com todos e com qualquer pessoa”, disse Gwede Mantashe, presidente do ANC e atual ministro das Minas e da Energia, aos jornalistas em comentários transmitidos pela South African Broadcasting Corporation (SABC), esquivando-se a uma pergunta sobre quem é o partido que estava a discutir uma possível coligação.

Após perda histórica nas eleições da África do Sul, partido de Mandela terá que disputar a presidência com oposição

Após perda histórica nas eleições da África do Sul, partido de Mandela terá que disputar a presidência com oposição

Os potenciais aliados, porém, são desde a Aliança Democrática, uma legenda pró-mercado, a partidos insurgentes de ex-membros do ANC que deixaram a legenda.

Investidores da economia mais industrializada da África esperam que as incertezas acabem rapidamente.

O resultado ruim, contudo, pode alimentar discussões sobre a liderança de Cyril Ramaphosa. A vice-secretária-geral do ANC, Nomvula Mokonyane, afirmou que o mandatário não vai renunciar. “Ninguém vai renunciar… Coletivamente, todos nós estamos confiantes de que ele (Ramaphosa) continuará como presidente do ANC”, afirmou ela a repórteres no centro de resultados eleitorais.

“Há paz, há harmonia. Estamos todos a falar uns com os outros. Eu (gostaria) que o clima que existe aqui pudesse permear as comunidades e os eleitores”, completou Mokonyane à Associated Press.

Na sexta-feira, porém, um alto funcionário do ANC o apoiou para permanecer como líder do partido, e analistas dizem que ele não tem um sucessor óbvio.

Um acordo para manter o ANC na presidência poderia envolver o apoio da oposição em troca de cargos no gabinete ou de maior controle do Parlamento, talvez até do presidente da Câmara.

Outros partidos questionam o que consideram ser inconsistências na contagem de votos que podem levar à contestação de alguns resultados.

Desde o pleito histórico de 1994, que acabou com o domínio da minoria branca, o ANC venceu todas as eleições presidenciais sul-africanas.

* Com agências internacionais




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

Trump é condenado por fraude ao comprar silêncio de atriz pornô; pena sai em julho

Candidato novamente à Casa Branca neste ano, Trump foi condenado por fraude contábil ao ocultar um pagamento de US$ 130 mil para comprar o silêncio da atriz pornô Stormy Daniels na eleição de 2016, quando derrotou Hillary Clinton, do Partido Democrata. Segundo a acusação, o suborno foi usado para ocultar a relação com Daniels e, assim, interferir no processo eleitoral. A decisão do júri, anunciada num tribunal de Nova York, foi unânime. Trump foi declarado culpado em todas as 34 […]

today2 de junho de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%