G1 Mundo

Após seis votações, republicanos ainda não conseguiram definir presidente da Câmara dos EUA

today4 de janeiro de 2023 12

Fundo
share close

O republicano Kevin McCarthy, favorito para substituir a democrata Nancy Pelosi, não foi capaz de acalmar a revolta de um grupo de apoiadores do ex-presidente Donald Trump, que o consideram moderado demais e estão votando em outros candidatos.

O candidato precisa ter a maioria absoluta dos votos para ser eleito presidente. Se todos os 435 deputados votarem, o vencedor precisa ter 218 votos para ganhar.

Foram três rodadas de votação na terça-feira e mais três nesta quarta-feira, todas sem definição.



Após a sexta rodada de votação, a Câmara entrou em recesso, com previsão de voltar às 20h (22h no horário de Brasília).

Apesar do candidato democrata Hakeem Jeffries aparecer na frente nas votações, o partido não tem maioria na Câmara e a possibilidade dele conseguir os votos necessários é bastante remota.

Os republicanos, que obtiveram uma apertada maioria dos assentos da Câmara, pretendem usar essa vantagem para abrir uma série de investigações que têm como alvo o presidente americano, o democrata Joe Biden, entre elas sobre a forma como ele gerenciou a pandemia de Covid-19.

Mas, antes disso, eles precisam chegar a um acordo sobre quem irá presidir a Câmara dos Representantes, para que os legisladores possam prestar juramento. Sem isso, os novos deputados não podem assumir o cargo.

Após o fim da sessão, Trump criticou uma “agitação supérflua” dentro do Partido Republicano, pelo qual o magnata pretende disputar novamente as eleições presidenciais em 2024. Trump endossa McCarthy como presidente da Casa.

O republicano Kevin McCarthy (mais à direita) conversa com seus colegas de partido e também deputados Jim Jordan e Chip Roy nesta quarta (4) no Capitólio — Foto: Reuters/Evelyn Hockstein

A eleição do titular da Câmara baixa, conhecido como “speaker”, terceira figura mais importante da política americana, requer uma maioria de 218 votos. Esse número pode ser menor caso algum deputado se abstenha de votar.

McCarthy não alcançou este número após três rodadas de votação na terça devido à oposição de cerca de 20 congressistas partidários de Trump.

A candidatura de McCarthy conta com um apoio amplo dentro do seu partido. De fato, o anúncio de sua indicação na terça-feira no plenário foi recebido com aplausos de pé nas fileiras americanas.

No início da terceira rodada, o desconforto era palpável. Republicanos mais moderados estavam pedindo a seus colegas que apoiassem McCarthy.

“Viemos aqui para fazer coisas”, disse o líder republicano Steve Scalise, arrancando risos dos democratas.

Ao longo das votações, o partido de Biden se uniu em torno da candidatura do líder democrata Hakeem Jeffries, aplaudindo-o sob gritos de “Hakeem, Hakeem, Hakeem!”. Mas ele não tem votos suficientes para ser eleito.

A eleição do presidente da Câmara dos Representantes pode ser decidida em horas, ou levar semanas. Em 1856, demorou dois meses.

McCarthy parece estar disposto a fazer concessões aos mais conservadores para evitar que a história se repita, uma vez que, em 2015, a ala mais à direita de seu partido o impediu de ocupar o cargo.

Mas tampouco pode se dar ao luxo de se colocar contra os republicanos moderados. Embora a margem de manobra de McCarthy seja reduzida, no momento ele não tem um adversário forte. Como possível alternativa, circula apenas o nome de Jim Jordan.

Donald Trump e Kevin McCarthy em foto de arquivo de 14 de janeiro de 2018 — Foto: REUTERS/Kevin Lamarque

Com os republicanos no controle da Câmara dos Representantes, Biden e os democratas perderam poder para aprovar novas iniciativas. O mesmo acontecerá com os republicanos no Senado, onde os democratas são maioria.

Para se alinharem em uma oposição sistemática, os republicanos teriam que estar unidos. No entanto, na votação do orçamento, em dezembro, viu-se alguns votando com os democratas.

Com a eleição do “speaker”, a desunião saltou à vista novamente.

Uma Câmara hostil poderia, inclusive, beneficiar Biden, caso ele confirme sua intenção de voltar a se candidatar à Presidência em 2024.

O presidente é cauteloso ao comentar as divisões republicanas. Sua porta-voz, Karine Jean-Pierre, assegurou que o líder democrata não “se intrometerá neste processo”.

Em caso de paralisação legislativa, o presidente americano deve culpar os republicanos pelo bloqueio, na esperança de se beneficiar politicamente.

O presidente dos EUA, Joe Biden, fala à imprensa antes de embarcar em Washington, EUA, em 4 de janeiro de 2023 — Foto: REUTERS/Leah Millis




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-altas-temperaturas-que-atingem-diversos-paises-da-europa-no-auge-do-inverno

G1 Mundo

As altas temperaturas que atingem diversos países da Europa no auge do inverno

Recordes nacionais foram batidos em oito países — e recordes regionais em outros três. Varsóvia, capital da Polônia, registrou 18,9°C no domingo (1°), enquanto a temperatura na cidade de Bilbao, norte da Espanha, chegou a 25,1°C — mais de 10°C acima da média. O clima ameno é observado na Europa, enquanto a América do Norte enfrenta fortes tempestades, dias depois de uma onda de frio mortal no inverno ter deixado […]

today4 de janeiro de 2023 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%