G1 Santos

Ator que namorou Larissa Manoela diz a seguidora que não quer conhecer pessoas intersexuais: ‘me senti ridicularizada’

today7 de janeiro de 2024 7

Fundo
share close

Uma seguidora do ator Thomaz Costa, conhecido de novelas infantis, reality shows e por ter namorado a atriz Larissa Manoela, contou ter se sentido ridicularizada pelo famoso no Instagram, após este ter respondido a ela, em uma caixa de perguntas no Instagram, que “não conhece, nem quer conhecer” uma pessoa intersexo — termo usado para descrever variações biológicas naturais do corpo. Clique aqui e entenda.

A pergunta foi feita pela ativista de São Vicente, no litoral de São Paulo, Mayara Natale. Ela integra o Grupo de Trabalho sobre o tema no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, e não esconde a decepção com a resposta do ator, de quem se diz fã.

“Acompanho ele desde criança. Fiquei decepcionada porque ele, como influenciador, deveria ajudar as pessoas a entender sobre o assunto. Meu intuito com esses artistas é que eles conheçam nosso movimento e, assim, termos aliados”.



A forma como o ex-namorado da atriz Larissa Manoela agiu na resposta soou como uma agressão para Mayara.

“Fiquei triste de ser ridicularizada e, com isso, propagar a desinformação, achando que é algo sobre orientação sexual”, acrescenta. “Ele poderia dizer “nunca conheci ninguém, mas vou me informar a respeito”.

Mayara afirmou que a população intersexo se faz presente na sociedade, embora muitos possam não ter conhecimento. “Ele (Thomaz) pode ter tido relações íntimas com uma mulher intersexo e nem imagina”.

A equipe de reportagem entrou em contato com a empresa que faz gestão da carreira do ator Thomaz Costa, mas não teve resposta até o momento.

Antigamente, pessoas intersexo eram chamadas de hermafroditas, mas o termo caiu em desuso. Além de ser pejorativo, é associado apenas aos genitais ambíguos ou pessoas que nasciam com os dois genitais, masculino e feminino.

Uma pesquisa da Organização das Nações Unidas (ONU) estimou que entre 0,05% e 1,7% da população mundial nasce com características intersexo — o que pode significar até 3,5 milhões de pessoas apenas no Brasil.

Essas pessoas podem ter alterações hormonais, genitais ambíguos (como no caso de Jacob) e outras diferenças anatômicas, ou ainda nascer com códigos genéticos diferentes do padrão.

Exemplo: o corpo pode ser fisicamente feminino, mas o seu código genético ser XY (X é o cromossomo feminino e Y é o masculino), o que pode afetar o desenvolvimento e a produção de hormônios.

Orgulho de ser quem se é: o direito à cidadania de pessoas intersexo

Orgulho de ser quem se é: o direito à cidadania de pessoas intersexo

Trabalho interministerial

Mayara Natale integra a Associação Brasileira de Intersexos (Abrai) e atua junto com a secretária nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+, Symmy Larrat. Segundo ela, por falta de informações sobre políticas públicas referentes à condição intersexo, o grupo de trabalho foi criado e, durante o ano, vai atuar junto a outros ministérios.

“Alguns exemplos: na Educação, ver o que pode ser ampliado no conhecimento sobre a condição intersexo; no Ministério da Mulher, sobre apoio a mães gestantes, ou que têm seus filhos intersexo; e no da Saúde, as razões para não praticar mutilação. Também agir para termos leis que protejam as pessoas nessa condição. Países como Portugal e França já exercem essa preocupação”, argumenta a ativista.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

onda-vira-bote-com-turistas-e-mulher-morre-afogada-em-praia-do-litoral-de-sp;-video

G1 Santos

Onda vira bote com turistas e mulher morre afogada em praia do litoral de SP; VÍDEO

Uma mulher, de 30 anos, morreu afogada após o bote em que estava com dois homens virar na água na entrada da Praia da Boca da Barra, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Segundo o Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), Adriana Josefa era de Taboão da Serra foi encontrada em grau avançado de afogamento, entrou em parada cardiorrespiratória e não resistiu. O caso ocorreu por volta de 9h deste […]

today7 de janeiro de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%