G1 Santos

Baixada Santista tem alta nos casos de lesão corporal dolosa

today4 de abril de 2024 1

Fundo
share close

Em janeiro e fevereiro de 2023 as cidades de São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Guarujá e Cubatão somadas registraram 701 ocorrências contra 792 neste ano, o que representa uma alta de 12,9% neste tipo de crime. (veja a tabela abaixo).

De acordo com Cláudio Tucci Junior, ex-chefe de gabinete da Secretaria de Justiça do Estado de São Paulo, os casos de lesão corporal dolosa têm uma correlação natural com o enfrentamento dos crimes graves, aqueles cometidos com muita violência. (leia mais abaixo)

No Código Penal, o crime é descrito como ofender a integridade corporal ou a saúde de outra pessoa. São crimes onde o agressor teve a intenção de provocar lesões e colocar a vida da vítima em risco. O crime prevê uma pena que pode ir até 12 anos, dependendo do tipo de lesão e do resultado dela.



Números de lesões corporais dolosas na Baixada Santista

Cidade 1º Bimestre 2023 1º Bimestre 2024
Santos 197 156
São Vicente 130 164
Guarujá 134 140
Praia Grande 232 254
Itanhaém 92 111
Mongaguá 71 78
Cubatão 42 45
Peruíbe 64 57
Bertioga 68 52
Total 1.030 1.057

São Vicente e Peruíbe foram as únicas cidades da Baixada Santista a registrarem aumentos nos casos de furto no período analisado. O indicador da SSP-SP não leva em consideração furto de veículos, que aparecem em uma categoria distinta.

As ocorrências de furtos em São Vicente saltaram de 635 para 787, um aumento superior a 23,9%, enquanto os da outra cidade foram de 236 para 314, uma diferença de 33%.

Nas demais cidades da região, houve redução no número desses crimes entre o primeiro bimestre do ano passado e o de 2024. A maior queda foi encontrada em Mongaguá, que registrou 335 furtos nos primeiros dois meses deste ano em comparação aos 618 de 2023.

Furtos na Baixada Santista

Cidade 1º bimestre 2023 1º Bimetre 2024
Santos 1.013 933
São Vicente 635 787
Praia Grande 1.221 1039
Mongaguá 618 335
Itanhaém 643 475
Peruíbe 236 314
Bertioga 326 268
Guarujá 841 684
Cubatão 199 191

Tucci Junior, que também é doutor em Direito e Ciências Sociais, entende que durante o enfrentamento dos crimes graves há o uso da força e consequentemente a resistência, que podem desencadear conflitos entre os próprios infratores da lei.

Ele explicou que para analisar a alta de alguns crimes é importante ir mais a fundo, conhecer os locais e horários exatos mais frequentes das ocorrências. Os lugares públicos com maior desigualdade social são também os mais propensos a tal aumento.

Segundo ele, quando há ausência do estado em um local, alguém toma esse território e proporciona à população as atividades que seriam de responsabilidade do próprio estado, como a segurança.

“A gente sabe hoje que existe um conceito de governança criminal. Então, o crime organizado se instala nessas comunidades, acaba explorando essa questão da desigualdade social e oferece serviços que seriam de responsabilidade do Estado, como a segurança do local, a questão de acesso à saúde, acesso à educação”, disse.

Para ele, a Baixada Santista também é um ponto de referência “importantíssimo” para o crime organizado em termos logísticos devido ao Porto de Santos, que já superou as divisas brasileiras.

Receita Federal evitou que 46 kg de cocaína fossem encaminhados para a Austrália por meio do Porto de Santos — Foto: Receita Federal/Divulgação

“Hoje, a gente sabe que o crime organizado não é só regional nem nacional, ele é transnacional […]. Então, ali é um local estratégico de exportação das drogas”.

Tucci ressaltou que as comunidades próximas ao porto, onde o crime acaba se instalando, se aproveita da alta vulnerabilidade da região e exercendo um domínio, se aproveitando e “explorando essas pessoas”.

De acordo com ele, a solução ideal seria retomar o território com o uso das forças de segurança e, depois, inserir políticas públicas setoriais nessas comunidades.

“Compete ao estado utilizar a força das seguranças públicas, e não o crime organizado. E, naturalmente, nesse enfrentamento, tem que olhar com muita cautela os casos que se excedem para que tenha apuração imediata e os culpados que se excederam sejam responsabilizados”, completou.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

homens-armados-e-usando-capacetes-assaltam-pizzaria-no-litoral-de-sp;-video

G1 Santos

Homens armados e usando capacetes assaltam pizzaria no litoral de SP; VÍDEO

Vídeo obtido pelo g1 mostra a ação criminosa, que ocorreu em um estabelecimento do bairro Vila Valença, em São Vicente (SP). Homens de capacete assaltam pizzaria e levam quase R$ 2 mil no litoral de SP Uma pizzaria em São Vicente, no litoral de São Paulo, foi assaltada por três homens que usavam capacetes. Em vídeo obtido pelo g1, nesta quinta-feira (4), é possível ver o momento em que o […]

today4 de abril de 2024

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%