G1 Mundo

Barroso diz que Holocausto é tema que não pode ser ‘banalizado’, mas evita comentar fala de Lula

today21 de fevereiro de 2024 7

Fundo
share close

Lula gerou crise diplomática com Israel ao comparar a ação israelense na Faixa de Gaza com o extermínio de judeus por nazistas liderados por Adolf Hitler.




Barroso diz que Holocausto é tema que não pode ser 'banalizado'

Barroso diz que Holocausto é tema que não pode ser ‘banalizado’

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, evitou nesta quarta-feira (21) fazer comentários sobre a declaração do presidente Lula que gerou uma crise diplomática entre Brasil e Israel.

Questionado sobre a fala do petista, durante entrevista à GloboNews, Barroso não quis opinar, mas disse que o extermínio de judeus por nazistas liderados por Adolf Hitler é um tema que precisa ser tratado “com cerimônia” e “respeito”, e não pode ser “banalizado”.

No último domingo (18), o presidente Lula comparou a ação de Israel, na Faixa de Gaza, ao que Hitler fez com os judeus no século passado. A fala foi repudiada por israelenses, e o governo do país declarou o petista “persona non grata”.

O presidente do STF, que é de origem judaica, disse que a declaração de Lula é um assunto que ele não pode ou deve comentar, mas afirmou que o Holocausto “mexe com sentimentos e com um passado de sofrimento inimaginável”.

“Portanto, é um assunto que tem que ser tratado com muita cerimônia e não ser banalizado. Eu não vou entrar na questão do comentário do presidente, não é o meu papel. Mas, para quem viu e conhece as pessoas que eu conheço, viu às cenas, visitou o Museu do Holocausto, eu fui a Auschwitz, é impossível avaliar a barbárie que foi aquilo. Não foi guerra, aquilo foi desumanidade mais profunda”, disse.

Governo Lula cogita expulsar embaixador de Israel

Governo Lula cogita expulsar embaixador de Israel

Para o magistrado, o Hamas é um grupo “terrorista”, e o que está acontecendo no Oriente Médio é uma “guerra”.

“Mas é possível ter uma visão duramente crítica da política do Benjamin Netanyahu, se alguém quiser ter. Mas é uma guerra, não é um exercício de desumanização. Possivelmente, a coisa mais impactante que eu já vi foi Auschwitz. Você sai de lá e [leva] dias para se recuperar daquela energia do que aconteceu ali. Então, eu trataria com muito respeito e seriedade”, concluiu Barroso.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

sobe-para-31-o-numero-de-mortes-na-operacao-verao;-pm-matou-o-suspeito-em-novo-confronto-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Sobe para 31 o número de mortes na Operação Verão; PM matou o suspeito em novo confronto no litoral de SP

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), policiais militares estavam patrulhamento quando viram dois suspeitos armados que, ao perceberem a aproximação da equipe, atiraram contra os agentes. Os PMs revidaram e um dos homens foi atingido -- o comparsa escapou. O resgate foi acionado e o homem socorrido. Ele foi encaminhado à Santa Casa de Santos, onde morreu. Com o suspeito, os policiais encontraram uma pistola calibre […]

today21 de fevereiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%