G1 Santos

Bertioga, SP, tem volume recorde de chuva no país e meteorologista explica milímetros: ‘683 litros de água por metro quadrado’

today21 de fevereiro de 2023 26

Fundo
share close

Segundo o profissional, a medida de chuva é feita em milímetros, que é uma unidade de comprimento, ou seja, 1.000 mm representa 1 metro. “A chuva é uma unidade de altura e a quantidade de milímetros representaria uma lâmina de água formada por essa chuva no local que está sendo medido. Por exemplo, 100 milímetros representaria uma lâmina de água de 100 milímetros de altura nessa região”.

A melhor forma para entender a medida de chuva, segundo Cassol, é converter de milímetros para volume. “Se a gente pensar em uma lâmina de 100 mm de altura em uma superfície de área no chão de 1 metro quadrado, isso representaria 100 litros de volume”.

Dessa forma, como choveu 683 mm em Bertioga, isso representaria um volume de água de 683 litros em uma superfície de um metro quadrado. “A cada metro quadrado [ são mais] de 600 litros de chuva é muita água para uma área muito pequena”.



Guarujá, no litoral de São Paulo, registrou volume de chuva de aproximadamente 400 milímetros em menos de 24h — Foto: Addriana Cutino/g1

O meteorologista afirmou que toda essa água não fica no local, infiltra no solo e escorre para partes mais baixas, no entanto, por causa da grande quantidade de água é comum alagamentos e deslizamentos de morros.

“Com a maré alta, dificulta o escoamento. Uma das principais formas é escorrer [a água] para áreas mais baixas como o mar, mas, como tinha a maré alta, essa acabou segurando um pouco esse escoamento da água”, disse.

Cassol reforçou, portanto, que, com a maré elevada a capacidade de escoamento é reduzida. Não só isso, como o solo encharcado não permite mais a infiltração de água. “Ela tem que sair pelas laterais, procurar áreas mais baixas. No caso de Santos (SP) existem os canais que ajudam no escoamento”.

O meteorologista ressaltou que as ações de melhorias no sistema de drenagem e macrodrenagem das cidades são importantes para reduzir os danos em situações como essas. “Claro que todas cidades da região têm esse tipo de coisa [sistema de drenagem], mas nem todas são totalmente adequadas”.

Chuvas começaram no sábado (17) e, em algumas cidades, o índice previsto para o mês foi batido em poucos dias.

Além de Bertioga, Guarujá também registrou um grande volume de chuva no mesmo período e ultrapassou os 400 mm. As cidades parecem ter sido invadidas pela água, tamanha a quantidade de chuva que atingiu os municípios nas últimas horas.

Entre os problemas registrados estão ruas alagadas, quedas de barreiras e de árvores, falta de energia, interrupção da travessia de barcas e balsas. Moradores também registraram e enviaram à reportagem imagens de casas inundadas, carros submersos e diversos bens danificados pela água.

Bertioga registrou maior volume de chuvas durante temporal

Bertioga registrou maior volume de chuvas durante temporal

A Prefeitura de Bertioga, informou que o Governo Estadual publicou o Decreto 67.502/23, declarando estado de calamidade pública. A cidade permanece com pontos de alagamentos em diversos bairros. A Defesa Civil e equipes da administração seguem em alerta, trabalhando para prestar apoio às pessoas atingidas e minimizar os impactos causados pelas chuvas.

Até o momento, 17 pessoas desalojadas foram abrigadas na Quadra da Escola José de Oliveira, no Rio da Praia. A Aldeia Rio Silveira, localizada na divisa de Bertioga, também foi impactada pelas chuvas. A Prefeitura está trabalhando em conjunto com a Funai para prestar a assistência necessária.

Veja imagens de Guarujá, SP, após ser atingida por fortes chuvas

Veja imagens de Guarujá, SP, após ser atingida por fortes chuvas

Equipes de diversas secretarias da Prefeitura de Guarujá estão mobilizadas desde a madrugada de domingo (19) para atender e cuidar das 190 pessoas desalojadas. O Ministério do Planejamento se colocou à disposição do município, enquanto o Governo Estadual publicou o Decreto 67.502/23, declarando estado de calamidade pública.

Um Gabinete de Crise foi criado e ficou definido a abertura de dois polos para abrigar as pessoas removidas preventivamente de suas casas. Os munícipes desalojados recebem o acolhimento seguro, alimentação, higienização, roupas limpas, cadastramento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

Guarujá, SP, registra maior volume de chuva nos últimos 70 anos e tem 190 pessoas desabrigadas — Foto: Addriana Cutino/g1

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

acao-da-saude-de-guaruja-atende-mais-de-330-criancas-em-unidades-municipais-de-ensino

Prefeitura de Guarujá

Ação da Saúde de Guarujá atende mais de 330 crianças em unidades municipais de ensino

Mais de 30 profissionais atuaram em atendimentos como verificação de peso e altura, auxílio na escovação e conferência da carteirinha de vacinação por meio do Programa de Saúde nas Escolas (PSE) Com sorriso saudável e limpinho. Foi assim que mais de 330 crianças de até 3 anos saíram das suas unidades municipais de ensino depois de um atendimento especial das equipes de odontologia de Guarujá. O dia de ação do […]

today21 de fevereiro de 2023 20

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%