G1 Mundo

Brasil avalia pautar no G20 discussão sobre regulação das plataformas digitais

today11 de janeiro de 2024 6

Fundo
share close

O objetivo, segundo esses diplomatas, é propor medidas que, em nível global, possam preservar a integridade das informações disseminadas entre as populações, combatendo as chamadas “fake news”.

Ao assumir o posto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) informou que o país estabeleceu três eixos centrais de discussão:

  • inclusão social e combate à fome e à pobreza;
  • transição energética e desenvolvimento sustentável;
  • reforma da governança global.



O entendimento do governo brasileiro é que, a partir desses eixos centrais, diversos temas podem ser debatidos, incluindo o fortalecimento da democracia em nível global e também as ações relacionadas às plataformas digitais.

Integridade da informação

Segundo a página oficial do G20, o grupo entende que a chamada integridade da informação – que abrange precisão, consistência e confiabilidade – é ameaçada pelas “fake news” e pelo discurso de ódio, principalmente nos meios digitais.

Diante disso, a expectativa é que o Grupo de Trabalho Economia Digital possa discutir o tema, propondo, por exemplo, a eventual adoção de políticas públicas ao redor do mundo que possam ajudar no combate à disseminação de conteúdo falso.

“O conceito de integridade da informação refere-se à precisão, consistência e confiabilidade da informação. Ela é ameaçada pela desinformação, pela informação falsa e pelo discurso de ódio que circulam, sobretudo, nos canais digitais”, destaca o G20.

“Por meio de narrativas negacionistas, atores estatais e não-estatais procuram engajar cidadãos e cidadãs em posições equivocadas”, acrescenta.

PNI 50 anos: Ministério da Saúde tenta reverter cenário negativo de vacinação com combate às fake news

PNI 50 anos: Ministério da Saúde tenta reverter cenário negativo de vacinação com combate às fake news

Conforme o grupo, a Organização das Nações Unidas tem pedido aos países que elaborem propostas regulatórias para proteger a integridade da informação.

Segundo o G20, um levantamento da ONU indica que cerca de 60% dos usuários de internet no mundo estão preocupados com a desinformação nos meios digitais.

“A desinformação é descrita pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como conteúdo falso ou enganoso que pode causar danos específicos, independentemente de motivações, consciência ou comportamentos”, afirma o G20.

  • rotular anúncios e informar quem promoveu;
  • proibição de anúncios serem baseados em dados sensíveis do usuário;
  • direito dos usuários de não participar de sistemas de recomendação.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bukele-reduziu-a-criminalidade-em-el-salvador-aplicando-modelo-autoritario;-pais-foi-inspiracao-para-presidente-do-equador-erguer-megaprisoes

G1 Mundo

Bukele reduziu a criminalidade em El Salvador aplicando modelo autoritário; país foi inspiração para presidente do Equador erguer megaprisões

Ele se tornou popular por ter domado a criminalidade e a atuação das gangues, conhecidas por maras, que dominavam o país nas últimas três décadas e imprimiam, em 2015, a taxa de 107 homicídios para cada 100 mil pessoas. Parte das medidas anunciadas no Equador por Daniel Noboa — criação de dois gigantescos centros penitenciários e compra de navios-prisão — se espelha no modelo aplicado por Bukele. O presidente salvadorenho […]

today11 de janeiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%