G1 Mundo

Brasileira ferida no Líbano está em estado gravíssimo: ‘Médico pediu 24h para tentar transferência’

today2 de junho de 2024 13

Fundo
share close

A brasileira Fatima Boustani, de 30 anos, ferida neste sábado (1°) após bombardeio em sua casa, na cidade de Saddike, no Sul do Líbano, está em estado gravíssimo. A informação é de Hussein Ezzddein, primo de Ahmad Aidibi, marido de Fatima, ao g1.

“Ela está sangrando pela cabeça e pelo pulmão”, afirmou Ezzddein. Boustani deve ficar 24 horas em observação antes de tentarem transferi-la para uma unidade hospitalar com melhor infraestrutura de atendimento.

Na tarde de sábado (1º), a casa de Boustani foi destruída por um bombardeio (veja imagens abaixo). Uma filha de 10 anos e um filho de 9 estavam no local.



Família brasileira perde casa em ataque aéreo no Líbano

Família brasileira perde casa em ataque aéreo no Líbano

Em nota, o governo brasileiro condenou o ataque e informou que presta apoio à família. (Leia a íntegra ao final desta reportagem.)

A menina passou pela terceira cirurgia na noite de sábado e recebeu transfusão de sangue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Libanês Italiano, em Tiro, no sul do país, e o menino está em observação na enfermaria do mesmo hospital.

O pai das crianças, Ahmad Aidibi, está hospedado na casa de Ezzddein, em Itapevi, na Grande São Paulo. “Ele está desesperado, só grita e não come”, relatou o primo ao g1, na manhã deste domingo (2).

Aidibi está no Brasil morando com o primo há pelo menos cinco anos. Ele retornou ao país há três semanas, depois de visitar a família no Líbano. A esposa teria conseguido a cidadania brasileira e os planos da família eram de aguardar o término do período escolar das crianças, neste ano, para todos virem ao Brasil.

Mesmo sem falar português, ele tenta oportunidades de trabalho no Brasil para melhorar a condição de vida dos filhos e da esposa. Ao g1, o primo conta que Aidibi está em estado de choque desde que recebeu a notícia do ataque e pede socorro às autoridades brasileiras. “Ele fica chorando igual uma criança”, relata.

Aidibi e Boustani têm quatro filhos de 12, 10, 9 e 7 anos. Eles moram na cidade de Saddike, a cerca de 100 km de Beirute.

No momento do ataque aéreo, somente Fatima, a filha de 10 anos e o filho de 9 estavam no local. As outras crianças tinham saído para a casa dos avós.

Qual o estado de saúde dos três?

De acordo com o primo da família, Fatima segue em estado grave, intubada e aguarda a transferência da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Libanês Italiano, em Tiro, no sul do país, para Beirute, capital do país.

A menina também está internada na UTI. O menino sofreu ferimentos leves na cabeça, mão e perna e está na enfermaria. Por enquanto, não há previsão de alta. “O pai deles estava com planejamento para vir para o Brasil. Estava tentando melhor a situação”, conta Hussein.

Nascida no Líbano, Fatima morou alguns anos no Brasil e também possui família aqui. Ela e os filhos conseguiram a nacionalidade brasileira há poucos meses.

Nos últimos cinco anos, a família Aidibi realizou pelo menos quatro viagens à São Paulo, com estadias de seis meses. As crianças inclusive chegaram a frequentar a escola. A meta deles era se mudar de país.

Mãe e filhos de 10 e 9 anos (de véu preto e camiseta branca) ficam feridos em ataque aéreo. — Foto: Arquivo pessoal

Leia a íntegra da nota do governo brasileiro:

O governo brasileiro manifesta sua indignação e condena o bombardeio de ontem, dia 1°, em Saddikine, no Sul do Líbano, que resultou em ferimentos em três cidadãos brasileiros. Todos estão recebendo tratamento no Hospital Libanês Italiano, em Tiro. O episódio ocorreu no contexto de ataques das forças armadas israelenses no Sul do Líbano e do Hezbollah no Norte de Israel. A Embaixada do Brasil em Beirute está em contato com os familiares e com a equipe médica e presta o apoio consular.

Desde o início do conflito entre Israel e Palestina, a Embaixada em Beirute monitora e mantém contato regular com os brasileiros residentes no Sul do Líbano.

O Brasil exorta as partes envolvidas nas hostilidades à máxima contenção, assim como ao respeito aos direitos humanos e ao direito humanitário, de forma que se previna o alastramento do conflito em Gaza e se evitem novas vítimas civis inocentes.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

benin,-na-africa,-quer-dar-nacionalidade-do-pais-a-todos-os-afrodescendentes-do-planeta;-entenda

G1 Mundo

Benin, na África, quer dar nacionalidade do país a todos os afrodescendentes do planeta; entenda

O projeto, enviado pelo governo e ainda em análise no parlamento beninense, foi citado pelo presidente Patrice Talon na visita oficial ao Brasil, na última semana, em discurso ao lado do presidente Lula. "Na nossa visão, eu vou repetir, todos os brasileiros afrodescendentes são beninenses. E isso deveria ser para eles motivo de orgulho. E por esse motivo, será votada nos próximos dias uma lei para conceder a todos os […]

today2 de junho de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%