G1 Mundo

Catar admite morte de ‘entre 400 e 500’ trabalhadores durante preparativos para a Copa

today29 de novembro de 2022 15

Fundo
share close

Pela primeira vez, integrante do governo do país fala em número de vítimas fatais nos preparativos para o Mundial, durante entrevista à TV britânica ‘TalkTV’. ONGs já denunciavam condições desumanas para imigrantes que construíram estádios.


O chefe da organização da Copa do Mundo do governo do Catar, Hassan Al-Thawadi, durante entrevista em março de 2022. — Foto: Darko Bandic/ AP



O chefe da organização da Copa do Mundo no governo do Catar, Hassan Al-Thawadi, afirmou nesta terça-feira (29) que “entre 400 e 500 pessoas” morreram durante a construção dos estádios que sediam a Copa do Mundo de 2022.

Foi a primeira vez que o governo catariano falou em número de mortos, uma incógnita há anos levantada por Organizações Não Governamentais (ONGs), que denunciaram condições degradantes de trabalhadores que construíram a infraestrutura do Mundial do país, a maioria deles imigrantes.

O balanço foi feito por Al-Thawadi durante uma entrevista à rede de TV britânica “Talk TV”. Ao jornalista inglês Piers Morgan, ele admitiu que é preciso melhorias em seu país.

Ativistas colocam cruzes em frente à sede da Fifa na Suíça em protesto por direitos trabalhistas na construção de estádios para a Copa do Mundo do Catar. Entidade elege nesta sexta-feira (29) seu próximo presidente. — Foto: Ennio Leanza/Keystone via AP

O total de mortes, segundo Al-Thawadi, não corresponde apenas a trabalhadores que construíram os estádios – entre esses, o número de vítimas fatais foi de três durante a jornada de trabalho e 37 fora dela.

No geral, a grande maioria dos trabalhadores morreu durante a construção dos preparativos da infraestrutura geral, como pontes, estradas, hotéis e obras de saneamento. A causa direta das mortes ainda não foi divulgada.

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

como-a-china-esta-acabando-com-protestos-contra-restricoes-da-covid

G1 Mundo

Como a China está acabando com protestos contra restrições da Covid

Em várias cidades, foi registrada forte presença policial, e algumas manifestações foram reprimidas ou nem chegaram a ocorrer. Surgiram relatos de pessoas sendo interrogadas e seus telefones revistados. Mas os chineses no exterior continuaram protestando, em pelo menos uma dezena de cidades em todo o mundo. As manifestações do fim de semana passado cresceram depois que um incêndio em um prédio alto em Urumqi, oeste da China, matou 10 pessoas […]

today29 de novembro de 2022 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%