G1 Mundo

Chile decide neste domingo se adota nova Constituição; veja o que pode mudar

today17 de dezembro de 2023 5

Fundo
share close

A primeira tentativa de substituir a Constituição de Pinochet aconteceu em 2022. O texto escrito por um órgão dominado por vozes de esquerda garantia proteções ambientais extensas e uma ampla gama de direitos, mas foi rejeitado pelos eleitores.

Uma nova assembleia foi eleita, agora dominada pela direita. A reformulação proposta pelo órgão é considerada mais conservadora do que a Constituição em vigor no país.

O que pode mudar na Constituição do Chile



Os chilenos decidem se seguirão com a Constituição atual, de Pinochet, ou se adotarão uma nova. O texto proposto tem 216 artigos, que colocam em seu centro os direitos de propriedade privada e mudanças de regras em temas como aborto e imigração.

Um dos itens do projeto diz que “a lei protege a vida de quem está para nascer”, enquanto o texto atual define o direito “à vida do que está para nascer”.

Críticos alertam que a diferente entre “de quem” e “do que” poderia tornar o aborto totalmente ilegal no Chile, que hoje permite a interrupção da gravidez em casos de estupro, feto inviável ou risco à vida da mãe.

Apoiadores da proposta de nova Constituição do Chile, em foto de 14 de dezembro de 2023 — Foto: AP Photo/Esteban Felix

Em relação à imigração, a proposta prevê a “expulsão no menor tempo possível” de estrangeiros que entraram no país de forma não autorizada. A medida não se aplicará aos casos de refúgio, asilo ou proteção.

O texto também prevê que presos que sofram doenças terminais e não são considerados riscos para a sociedade podem receber prisão domiciliar. A oposição de esquerda na assembleia diz que a regra poderia beneficiar condenados por crimes contra a humanidade durante a ditadura de Pinochet.

As pesquisas têm apontado que, apesar de ter um apoio baixo, a nova proposta ganhou terreno nas últimas semanas. Levantamento do instituto Cadem aponta que 38% do eleitorado aprovaria a nova Constituição, num aumento de seis pontos percentuais em relação à pesquisa anterior.

O presidente do Chile, Gabriel Boric, disse que não fará um terceiro plebiscito caso a proposta atual não seja aprovada, mas poderia tentar aprovar emendas à Constituição atual, que já foi alterada várias vezes ao longo de décadas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

ameaca-de-prisao-a-manifestante-que-bloquear-rua,-cargo-para-a-irma-e-‘plano-motosserra’:-a-primeira-semana-do-governo-milei-na-argentina

G1 Mundo

Ameaça de prisão a manifestante que bloquear rua, cargo para a irmã e ‘Plano Motosserra’: a primeira semana do governo Milei na Argentina

Como secretária-geral, Karina ajudará o presidente em políticas públicas, preparação de comunicados, participação em tarefas cerimoniais e protocolares, além de gestão das relações com o público, segundo a imprensa argentina. “É hora de acabar com esta metodologia [de protestos] que tudo o que faz é gerar a desordem total e absoluta e o descumprimento da lei, além de não proteger quem tem que levar a vida normal e pacificamente”, afirmou […]

today17 de dezembro de 2023 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%