G1 Mundo

Colômbia denuncia roubo de munições, granadas e armas com mísseis

today1 de maio de 2024 3

Fundo
share close

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, denunciou nesta terça-feira (30) o “grave” desaparecimento de “mais de um milhão” de armas e munições de duas bases militares, atribuindo o fato a redes de tráfico ligadas a grupos ilegais colombianos e estrangeiros, que “provavelmente” chegaram ao Haiti.

As armas foram retiradas “com destino a terceirados como grupos armados na Colômbia […] e provavelmente conflitos estrangeiros, o mais próximo sendo o do Haiti”, declarou o mandatário a partir da Casa de Nariño.

Segundo Petro, “há mais de um milhão de munições perdidas, entre munições, explosivos, granadas, armas como mísseis” provenientes das bases militares de Tolemaida (centro) e La Guajira (norte).



“Há muito tempo existem redes integradas por pessoas das forças militares e civis dedicadas ao comércio massivo de armas”, acrescentou Petro.

Na Colômbia, um país atravessado por meio século de conflito armado, as forças de segurança foram envolvidas em frequentes escândalos de corrupção e cumplicidade com narcotraficantes e guerrilheiros.

O desaparecimento do armamento foi detectado em uma inspeção de inventário. Ao lado do ministro da Defesa, Iván Velásquez, e do comandante geral das Forças Militares, Helder Giraldo Bonilla, Petro destacou que o Haiti está “a sete horas de lancha rápida da base da La Guajira”, um dos arsenais roubados.

Em 7 de julho de 2021, um comando de mercenários colombianos assassinou a tiros o presidente haitiano Jovenel Moïse, de 53 anos, em sua residência privada, sem que a segurança presidencial entrasse em ação.

O pequeno país, considerado o mais pobre das Américas, mergulhou em um profundo caos social desde a morte de Moïse e tem sido assolado pela violência armada por parte de gangues que controlam grande parte do país e da capital, Porto Príncipe.

“Esperamos concretizar as investigações para [tomar] todas as decisões que devem ser adotadas”, disse o ministro Velásquez, questionado sobre possíveis demissões dentro das bases militares afetadas.

A Colômbia vive um conflito armado que, em seis décadas, deixou 9,5 milhões de vítimas entre sequestrados, desaparecidos, deslocados e assassinados.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

Manifestantes pró-Palestina invadem prédio da Universidade de Columbia, que ameaça expulsar alunos envolvidos

A invasão ocorreu após a universidade começar a suspender estudantes que desafiaram o prazo de um "ultimato" dado pela direção de Columbia na segunda (29) e permaneceram acampados na praça principal do campus. Essa medida ocorreu por conta do fracasso das negociações entre a diretoria e a liderança do protesto pela desmobilização do protesto. Após a invasão na madrugada de terça, a Universidade de Columbia emitiu uma declaração ameaçando de expulsão desses estudantes e dizendo que os manifestantes haviam "optado […]

today1 de maio de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%