G1 Mundo

Conselho de Segurança da ONU: EUA vetam resolução que pedia por cessar-fogo imediato em Gaza

today8 de dezembro de 2023 16

Fundo
share close

Durante uma reunião do Conselho de Segurança da ONU, os Estados Unidos vetaram, nesta sexta-feira (8), uma resolução que pedia por um cessar-fogo imediato no conflito entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza. O país é um dos cinco membros permanentes do grupo e tem o poder de veto.

Treze membros do Conselho de Segurança, incluindo o Brasil, votaram a favor do texto apresentado pelos Emirados Árabes Unidos. A Grã-Bretanha se absteve.

“Embora os Estados Unidos apoiem os apelos a uma paz duradoura (…), não apoiamos os apelos a um cessar-fogo imediato”, disse Robert Wood, vice-embaixador dos EUA na ONU, antes da votação. “Isto apenas plantaria as sementes para a próxima guerra, porque o Hamas não deseja ver uma paz duradoura.”



Exército de Israel anuncia prisão de centenas de suspeitos de terrorismo em Gaza

Exército de Israel anuncia prisão de centenas de suspeitos de terrorismo em Gaza

Na quarta-feira (6), o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, invocou pela primeira vez o artigo 99 da Carta da ONU para provocar a reunião extraordinária do Conselho desta sexta. Seu objetivo era tentar forçar uma ação para evitar uma catástrofe humanitária na Faixa de Gaza.

Mais cedo, a ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) se manifestou sobre a falta de ação da ONU quanto ao conflito. “A inação do Conselho de Segurança das Nações Unidas e os vetos dos seus Estados-membros, especialmente os Estados Unidos, os tornam cúmplices do massacre em curso”, afirmou a organização.

O artigo 99 é é uma das ferramentas diplomáticas de maior poder simbólico à disposição do secretário-geral da ONU e não era invocado há décadas, segundo o porta-voz de Guterres, Stéphane Dujarric.

“O Secretário-Geral poderá levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que, na sua opinião, possa ameaçar a manutenção da paz e da segurança internacionais”, diz o texto.

Guterres invocou o artigo de maneira explicita em uma carta enviada ao presidente do Conselho de Segurança. No texto, ele diz que os bombardeios do Exército de Israel estão provocando o “iminente colapso total da ordem pública” na Faixa de Gaza.

“Em meio aos constantes bombardeios das forças armadas israelenses e sem abrigo e o mínimo para sobreviver, prevejo o iminente colapso total da ordem pública devido às condições desesperadoras, que até mesmo impossibilitariam uma assistência humanitária limitada”, escreveu.

O secretário-geral pede que o Conselho de Segurança demande um cessar-fogo humanitário para impedir a escalada da crise. Ele ressalta que a situação está se deteriorando rápido e que a a ONU está “simplesmente incapaz de chegar aos que precisam de ajuda dentro de Gaza”.

Em meados de novembro, após rejeitar quatro resoluções, o Conselho de Segurança aprovou um texto pedindo “pausas e corredores humanitários” na Faixa de Gaza.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

maduro-assina-decretos-para-criar-estado-de-essequibo-e-da-mais-um-passo-para-anexar-territorio-da-guiana

G1 Mundo

Maduro assina decretos para criar estado de Essequibo e dá mais um passo para anexar território da Guiana

Pela primeira vez, Maduro deu um horizonte para os planos serem levados adiante: "2030, ou mais", "para cumprir o mandato do povo que votou pelo sim". Foi uma referência ao plebiscito realizado no último domingo, com participação de metade dos eleitores da Venezuela, em que a anexação de Essequibo foi aprovada. Maduro assina decreto criando estado da Venezuela dentro do território da Guiana Essequibo, uma região maior que a Inglaterra […]

today8 de dezembro de 2023 12

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%