G1 Santos

Contrato é firmado para estudos sobre o aprofundamento do canal de navegação do Porto de Santos e instalação de mais geobags

today14 de janeiro de 2024

Fundo
share close

O presidente da APS, Anderson Pomini, ressaltou que o contrato tem o objetivo de estudar as obras de proteção costeira para que não afetem na balneabilidade das praias do município. “O aprofundamento do canal de navegação é uma necessidade de mercado para manter o Porto de Santos competitivo, mas isso precisa ser feito garantindo as condições das praias”.

A APS comprometeu-se a expandir o projeto-piloto de proteção costeira, implantado pela Prefeitura de Santos na Ponta da Praia, com objetivo de propor soluções para recuperação das praias da Aparecida e Embaré.

Para o estudo, serão realizadas simulações hidrodinâmicas, para avaliar as diferenças do comportamento das correntes no canal de acesso e avaliar as suas interferências, a partir dos dados de variação batimétrica e volumes dragados.



À esquerda, geobags que têm a função de impedir estragos causados pelas ressacas. À direita, Secretário de Meio Ambiente de Santos (SP), Marcos Libório — Foto: Francisco Arrais/Prefeitura Municipal de Santos e Arquivo Pessoal

O Secretário de Meio Ambiente de Santos, Marcos Libório, afirmou que a prefeitura pediu que fosse garantida a preservação da areia da praia e balneabilidade. “Como medida, ficou colocada a extensão dos geobags”.

Ele ressaltou que o município não tem dados da situação da balneabilidade, mas que há uma evidente redução de areia nas praias da Aparecida e Embaré. “A gente não tem um monitoramento de volume, mas, frequentemente a prefeitura acaba tendo que repor areia ali naquela região. Isso evidencia uma necessidade, uma operação adicional que antes não tinha”.

Libório explicou que a prefeitura retira areia dos canais 1 e 2, onde há um acúmulo e até assoreamento, e repõe nas áreas onde há a redução do segmento. “É uma evidência de que está acontecendo rotação de praia”.

O estudo do projeto-piloto, segundo o secretário, irá mostrar o que é necessário para preservar a faixa de areia e, ao mesmo tempo, aprofundar o canal do porto.

“É uma necessidade logística do Porto. O que a gente entende é que o Porto precisa estar habilitado a receber os navios da atualidade, ele precisa ter esse desenvolvimento econômico. O que a gente pede é que seja sustentável para que não aconteça problemas na faixa de areia”, pontuou.

O estudo terá 15 meses de duração e avaliará a necessidade da extensão dos geobags. “O estudo tem que garantir que haverá preservação da areia na Praia de Santos”.

Geobags impedem estragos causados por ressacas em Santos — Foto: Francisco Arrais/Prefeitura Municipal de Santos

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

mulher-paga-conta-de-luz-triplicada-e-descobre-que-houve-erro-de-digitacao;-entenda

G1 Santos

Mulher paga conta de luz triplicada e descobre que houve erro de digitação; entenda

Uma moradora de Santos, no litoral de São Paulo, pagou o valor da conta de luz triplicado e descobriu, somente depois, que houve um erro de digitação na fatura. Havia duas medições diferentes referentes ao mesmo mês. A jornalista Amanda Barbieri, de 40 anos, explicou ao g1 que foi ressarcida pela Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) Piratininga, mas a falha persistiu e ela ainda tenta explicações da empresa. […]

today14 de janeiro de 2024

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%