G1 Mundo

Corpo de Navalny tem sinais de hematomas e tentativas de massagem cardíaca, diz jornal

today18 de fevereiro de 2024 8

Fundo
share close

Neste domingo (18), a esposa de Navalny, Yulia Navalnaya, publicou uma foto do casal em suas redes sociais. Foi a primeira postagem desde a morte do marido. Na legenda, Navalnya escreveu somente: “Eu te amo”.

Mulher de Alexei Navalny, Yulia Navalnaya, faz primeira publicação depois de morte do marido. — Foto: Reprodução/@yulia_navalnya



O Serviço Penitenciário Federal disse em comunicado que Navalny perdeu a consciência durante uma caminhada e passou mal. A causa da morte ainda não foi oficialmente informada e o governo russo afirmou não ter nenhuma informação a respeito.

Kira Yarmysh, porta-voz de Navalny, disse em um comunicado no X (antigo Twitter) que os investigadores russos transferiram o corpo de uma colônia penal no Ártico para a cidade vizinha de Salekhard, onde será examinado.

Ainda na rede social, a porta-voz afirmou que a mãe de Navalny chegou na manhã de sábado na colônia penal de Kharp. A família do opositor russo precisou esperar duas horas até que um oficial da prisão aparecesse para dizer que o corpo foi transferido para Salekhard.

A porta-voz de Navalny disse que os advogados e a mãe do opositor russo foram ao necrotério de Salekhard, mas o local estava fechado.

O advogado de Alexey e sua mãe chegaram ao necrotério de Salekhard. Está fechado, porém, a colônia garantiu que está funcionando e que o corpo de Navalny está lá. O advogado ligou para o número que estava na porta. Disseram-lhe que ele era o sétimo chamador hoje. O corpo de Alexey não está no necrotério. — Foto: Reprodução/X

Mais de 400 pessoas foram detidas na Rússia enquanto prestavam homenagens ao líder da oposição russa, Alexei Navalny. Centenas de pessoas compareceram a memorais e monumentos às vítimas de repressão política no país com flores e velas no sábado (17).

De acordo com uma das maiores ONGs de direitos humanos da Rússia, a OVD-Info, as prisões foram realizadas em mais de uma dúzia de cidades russas.

Essa é a maior onda de detenções em eventos políticos na Rússia desde setembro de 2022, quando mais de 1.300 pessoas foram presas em manifestações contra uma “mobilização parcial” de reservistas para a campanha militar na Ucrânia, segundo a agência de notícias Reuters.

Policiais detêm um homem durante uma reunião em memória de Alexei Navalny perto do monumento Muro da Dor às vítimas da repressão política em Moscou. — Foto: Reuters

A morte do opositor repercutiu em todo o mundo, com muitos líderes globais culpando o presidente Vladimir Putin e seu governo.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou estar “profundamente entristecido e perturbado” pela morte e exigiu que a Rússia esclareça as circunstâncias do ocorrido.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, responsabilizou Putin pelo acontecido. “A verdade é que Putin é responsável. Independentemente se ele ordenou isso, ele é responsável pelas circunstâncias”, disse.

O Ministério das Relações Exteriores russo disse que, “em vez de acusar indiscriminadamente, os Estados Unidos deveriam se limitar a esperar resultados oficiais da investigação médica”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-que-sao-os-‘incendios-zumbis’-que-ameacam-o-canada-no-inverno

G1 Mundo

O que são os ‘incêndios zumbis’ que ameaçam o Canadá no inverno

Os chamados "incêndios zumbis" estão queimando mesmo no inverno - são brasas que continuam vivam no solo sob espessas camadas de neve. E eles crescem a um ritmo sem precedentes, aumentando os temores sobre o que o verão que se aproxima pode trazer. As pessoas que dirigem na rodovia que passa pela cidade de Fort Nelson, na Colúmbia Britânica, no inverno, podem facilmente ver – e sentir o cheiro – […]

today18 de fevereiro de 2024 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%