G1 Mundo

Corte Internacional de Justiça inicia processo que acusa Israel de atos genocidas em Gaza

today11 de janeiro de 2024 3

Fundo
share close

O processo foi aberto pelo governo da África do Sul em dezembro. Na primeira audiência, que aconteceu nesta quinta em Haia, na Holanda, onde o tribunal é sediado, representantes do governo sul-africano acusaram Israel de “submeter os palestinos a atos genocidas”.

No caso apresentado ao Tribunal de Haia, a África do Sul pede uma suspensão emergencial da campanha militar de Israel no território palestino.

“A África do Sul alega que Israel transgrediu o Artigo Dois da Convenção (sobre genocídio), cometendo atos que se enquadram na definição de genocídio. As ações mostram um padrão sistemático de conduta do qual se pode inferir genocídio”, disse Adila Hassim, advogada do tribunal superior da África do Sul, durante a sessão.



O governo de Israel será ouvido no processo na sexta-feira (12), mas já declarou a acusação da África do Sul não tem fundamento.

A África do Sul aponta para a campanha de bombardeio contínuo de Israel em Gaza, que matou mais de 23.000 pessoas no território, de acordo com as autoridades de saúde de Gaza. A guerra começou após terroristas do Hamas invadirem o sul de Israel em 7 de outubro, sequestrando centenas de pessoas e matando 1.404.

A Convenção sobre Genocídio de 1948 define genocídio como “atos cometidos com a intenção de destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, étnico, racial ou religioso”.

“Quero deixar alguns pontos absolutamente claros: Israel não tem intenção de ocupar permanentemente Gaza ou deslocar sua população civil”, afirmou, em uma publicação em suas redes sociais, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

A Corte de Haia deve tomar uma decisão primária, sobre medidas emergências, no fim de janeiro. Mas a acusação sobre se houve ou não genocídio deve durar anos.

As decisões da CIJ são definitivas e sem apelação, mas a corte não tem como aplicá-las.

Com o processo atraindo atenção global, apoiadores de ambos os lados do caso planejaram atos em Haia.

Milhares de manifestantes pró-Israel marcharam sob temperaturas congelantes no centro da cidade holandesa na manhã de quinta-feira, carregando bandeiras israelenses e holandesas e cartazes com imagens de pessoas feitas reféns pelo Hamas.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

qual-poder-das-faccoes-que-equador-classifica-como-‘organizacoes-terroristas’

G1 Mundo

Qual poder das facções que Equador classifica como ‘organizações terroristas’

A imagem de jornalistas e funcionários do canal com armas apontadas às suas cabeças, juntamente com o apelo do apresentador Jorge Rendón aos criminosos — que colocaram um explosivo no bolso do seu casaco — reforçaram ainda mais uma situação que vinha se deteriorando há meses. Na segunda-feira (8/1), o presidente do Equador, Daniel Noboa, havia declarado estado de emergência após a fuga da prisão de Adolfo Macías, conhecido como […]

today11 de janeiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%