G1 Mundo

‘Crime de guerra selvagem’, ‘genocídio’, ‘catástrofe’: países condenam bombardeio a hospital em Gaza; veja repercussão

today17 de outubro de 2023 5

Fundo
share close

O Ministério da Saúde de Gaza atribuiu o ataque a Israel. O país, no entanto, acusou a Jihad Islâmica de ser responsável pela ação. A Jihad Islâmica, outro grupo islâmico armado, também atua dentro de Gaza.

Veja, abaixo, manifestações contra o bombardeio (em ordem alfabética):

  • Arábia Saudita – o Ministério das Relações Exteriores do país classificou o ataque como “crime hediondo israelense”.
  • Autoridade Nacional Palestina – o presidente da ANL, Mahmoud Abbas, declarou luto oficial de três dias nos territórios palestinos (a Faixa de Gaza e a Cisjordânia) por conta das mortes no hospital de Gaza bombardeado por Israel. O porta-voz de Abbas chamou o ataque de um “genocídio” e uma “catástrofe humanitária”.
  • Canadá – o primeiro-ministro Justin Trudeau afirmou que os relatos vindos de Gaza, após o ataque ao hospital, são devastadores (“é horrível, inaceitável”).
  • Catar – o Ministério de Relações Exteriores do país condenou o bombardeio e demonstrou preocupação com o crescimento dos alvos israelenses. “A extensão dos ataques israelenses na Faixa de Gaza incluir hospitais, escolas e outros centros populacionais é um escalonamento perigoso”, diz o comunicado oficial.
  • Egito – o governo local definiu o bombardeio como “uma violação perigosa do Direito Internacional Humanitário”.
  • Emirados Árabes Unidos – o país emitiu uma condenação dizendo para Israel “para respeitar o direito humanitário”.
  • Irã – governo do país classificou o bombardeio como “um crime de guerra selvagem”, segundo a agência de notícias estatal iraniana.
  • Turquia – o presidente Tayyip Erdogan disse que o ataque ao hospital de Gaza foi “o exemplo mais recente dos ataques desprovidos dos valores humanos mais básicos”. Já o ministro turco das Relações Exteriores repudiou o que chamou de “ataque bárbaro”.



O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, escreveu em seu perfil no X (antigo Twitter): “A OMS condena energicamente o bombardeio do Hospital Al Ahli Arab”.

Atacar hospitais é crime de guerra

Atacar hospitais e instalações de saúde civis durante conflitos é crime de guerra, segundo o direito humanitário internacional. A proibição de ataque contra hospitais civis faz parte da Convenção de Genebra de 1949.

O artigo 18, Título II da IV convenção determina que cada hospital civil deve receber um documento que o certifique como centro de saúde civil.

Além disso, o local deve ser identificado como tal de forma visível por meio ou da cruz vermelha, ou do crescente vermelho ou do leão ou do sol vermelhos. Em qualquer um dos casos, o fundo deve ser branco. Israel está, desde julho de 1951, entre os Estados parte que se comprometeram a respeitar as Convenções de Genebra.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

israel-afirma-que-jihad-islamica-e-a-responsavel-por-explosao-em-hospital

G1 Mundo

Israel afirma que Jihad Islâmica é a responsável por explosão em hospital

Segundo os israelenses, um foguete que foi disparado da Faixa de Gaza em direção a Israel passou perto do hospital na cidade de Gaza quando o edifício foi atingido. Veja abaixo a íntegra da nota das autoridades israelenses: "A partir da análise dos sistemas operacionais das Forças de Defesa de Israel, foi lançada uma barragem de foguetes inimigos em direção a Israel que passou nas proximidades do hospital, quando este […]

today17 de outubro de 2023 5

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%