G1 Mundo

Daniel Alves já deu 4 versões após acusação de estupro na Espanha; ele pode se tornar a 1ª celebridade condenada pela lei do ‘só sim é sim’

today5 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

O atleta, que nega o crime e está há mais de 380 dias dias em prisão preventiva, foi à Audiência de Barcelona, a instância mais alta da Justiça local. Ao todo, devem ser ouvidas 28 testemunhas, além da denunciante e do próprio jogador. A previsão é que as sessões durem três dias.

A mulher que acusa Daniel Alves de estupro afirma que, na noite em que tudo aconteceu, estava com uma amiga e uma prima na área VIP de uma casa noturna e que já tinha dançado com o jogador e amigos dele. Depois disso, o atleta teria insistido para que ela o acompanhasse até um outro recinto.

A jovem alega que achava que, nesse segundo espaço, havia uma nova área VIP. Ao entrar, no entanto, notou que estava num banheiro pequeno, que só tinha um vaso e uma pia. Lá, teria acontecido o estupro.



Veja, abaixo, os principais pontos do caso e entenda o que diz a nova lei espanhola sobre o tema:

▶️ Desde que o caso veio a público, Daniel Alves deu quatro versões sobre o que ocorreu:

  • No início de janeiro de 2023, em um vídeo enviado ao canal espanhol Antena 3 depois que o caso veio a público, o jogador negou ter ocorrido relação sexual e disse que sequer conhecia a denunciante. “Nunca vi essa senhora na vida”, afirmou.
  • Dias depois, em um primeiro depoimento à polícia, Daniel Alves declarou ter entrado no banheiro junto com a espanhola, mas negou ter havido qualquer relação entre os dois.
  • Em 20 de janeiro, convocado a um segundo depoimento em uma delegacia de Barcelona, quando foi preso em flagrante, o jogador Alves alegou que a jovem praticou sexo oral nele, porém de forma consensual. O atleta mudou a versão ao ser confrontado pela polícia com imagens da boate.
  • Em 17 de abril de 2023, já preso, Daniel Alves declarou à juíza responsável pelo caso que manteve relações sexuais consensuais com penetração (àquela altura, exames periciais haviam encontrado sêmen do jogador na espanhola). O brasileiro, que era casado com modelo espanhola Joanna Sanz quando ocorreu o episódio na boate, argumentou ter mentido, em um primeiro momento, para ocultar uma relação extraconjugal.

▶️ Segundo a imprensa espanhola, Daniel Alves deve apresentar, no julgamento, uma quinta versão. A expectativa é que ele repita que a relação foi consensual, acrescentanto que estava embriagado e, portanto, sem suas faculdades totalmente preservadas.

▶️ O jornalista Jesús González Albalat, do “Periódico de Catalunya” e do podcast “En Fuera de Juego” assistiu às imagens registradas naquela noite de 30 de dezembro de 2022. Ele afirma: “O Daniel Alves muda de versão a cada vez em que as provas o deixam encurralado. Sai uma prova nova, ele diz outra coisa” (leia mais).

▶️ Pelo cronograma inicial do julgamento, Daniel Alves falaria já nesta segunda. Contudo, ele pediu para que seu depoimento fosse adiado para esta quarta-feira (7), após todas as testemunhas terem sido ouvidas. O pedido foi acatado.

▶️ Essa foi a primeira vez em que o jogador apareceu publicamente desde que foi preso, em 20 de janeiro de 2023. No início da sessão, a advogada de Daniel Alves, Inés Guardiola, afirmou que o cliente se diz vítima de um “tribunal paralelo”, feito pela opinião pública.

▶️ Popularmente chamada de “solo sí es sí” (“só sim, é sim”), a legislação prevê que a relação não é considerada consensual se a mulher não expressar claramente que está de acordo. A norma foi criada por causa de um crime que chocou a Espanha em 2016, conhecido como “caso La Manada”.

E há uma outra questão muito importante, inclusive para o caso, que pode trazer uma consequência séria. É a legislação espanhola, até para que se evitem defesas de que aquela prática sexual foi consensual, resolveu estabelecer de maneira expressa, no artigo 178, qual é esse conceito de consentimento, dizendo que há consentimento quando a vítima praticar atos expressos que demonstram uma manifestação muito clara e livre da sua vontade

— Alamiro Velludo, advogado e professor de direito penal da USP, Fantástico, em janeiro de 2023

▶️ A Promotoria de Barcelona pede nove anos de prisão. Já a defesa da mulher que denunciou o estupro quer uma sentença maior, de 12 anos. Até a última atualização desta reportagem, não havia previsão de sentença, em caso de condenação, a ser decidida pela juíza Isabel Delgado Pérez.

▶️ Na Espanha, denúncias de estupro são investigadas sob a acusação geral de agressão sexual, e as condenações podem levar a penas de prisão de 4 a 15 anos.

Julgamento de Daniel Alves — Foto: Jordi BORRAS / POOL / AFP

A jovem que acusou Daniel Alves prestou depoimento nesta segunda — até o início da sessão, não havia confirmação de que ela participaria do julgamento. Acompanhada de psicólogos, ela falou aos juízes na mesma sala em que o brasileiro estava, mas os dois não tiveram contato visual.

A voz da mulher foi distorcida, e a imprensa não teve permissão para acompanhar o depoimento — desde o início do caso, a juíza responsável pelo julgamento proibiu a divulgação da identidade e de imagens da jovem. Até a última atualização desta reportagem, o tribunal não havia divulgado detalhes do teor até a última atualização desta reportagem.

Lucia Alves, mãe do jogador Alves, também participou do julgamento. Ela foi a primeira a chegar ao tribunal e é uma das 28 testemunhas convocadas para falar no caso.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

candidato-do-brasil-a-chefiar-interpol-diz-que-e-hora-de-maior-diversidade-no-comando-da-agencia

G1 Mundo

Candidato do Brasil a chefiar Interpol diz que é hora de maior diversidade no comando da agência

Isso traria à Interpol uma nova perspectiva, maior credibilidade e maior cooperação global no combate ao crime transnacional, disse Urquiza, diretor de Cooperação Internacional da Polícia Federal, em entrevista na sexta-feira. "Entendemos que a diversidade trará mais credibilidade à organização, mais legitimidade ao trabalho que é feito. Por quê? A organização atua em atividades no combate a ameaças de todo o globo, então precisamos agregar à organização a expertise, prioridades […]

today5 de fevereiro de 2024 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%