G1 Santos

Deputada federal cobra do Estado de SP um serviço emergencial na travessia de balsas onde um atracadouro foi engolido pelo mar

today23 de junho de 2022 11

Fundo
share close

A travessia de balsas entre Bertioga e Guarujá, no litoral de São Paulo, está paralisada desde o último dia 12, quando o atracadouro foi engolido pela força da maré. Mais de dez dias após o ocorrido, a deputada federal Rosana Valle (PL) pediu ao Estado de São Paulo que seja disponibilizado um serviço de embarcações, em caráter emergencial, para atender a população que depende da travessia administrada pelo Departamento Hidroviária (DH).

De acordo nota divulgada pela deputada, o pedido foi encaminhado à Secretaria Estadual de Transportes e Logística, assim como uma solicitação para que atracadouro seja reparado.

Usuários precisam pagar R10 entre ida e volta para atravessar com embarcações alternativas — Foto: Divulgação



Os moradores que atravessavam gratuitamente de balsa agora devem pagar R$ 5 por trajeto a barqueiros que fazem o transporte alternativo. Um barco da Associação de Moradores da Prainha Branca também passou a fazer a travessia nos horários de pico, porém, sem cobrar nada.

Marinha do Brasil interdita serviço irregular

A Marinha do Brasil (MB) visitou a travessia de barcas no último dia 17, após uma denúncia que uma moradora fez ao g1 sobre o mau estado de conservação do píer e de embarcações. Após a vistoria, a Marinha interditou os serviços dos barqueiros irregulares e os responsáveis foram notificados.

A Marinha informou ao g1 que durante as ações de inspeção naval foram constatadas diversas irregularidades, como: embarcações sem condutores habilitados ou não adequadas para o transporte de passageiros, falta de equipamentos de segurança nas embarcações, píeres não licenciados e interditados por oferecerem riscos aos usuários.

Píer em mau estado de conservação oferece riscos contra a segurança dos usuários — Foto: Arquivo pessoal

“A MB [Marinha do Brasil] reitera o compromisso com a segurança da navegação e da salvaguarda da vida humana e orienta a população a buscar vias alternativas por meio rodoviário, até que o Departamento Hidroviário (DH) normalize a operação das balsas naquela região”, afirmou em nota.

A Capitania dos Portos de São Paulo incentiva a participação dos cidadãos a denunciar irregularidades por meio do e-mail: cpsp.ouvidoria@marinha.mil.br.

A Sociedade Amigos da Prainha Branca disponibiliza aos moradores duas lanchas, desde segunda-feira (20), com partidas das 6h às 9h e das 17h às 18h. Nestes horários, segundo a presidente da sociedade, Claudenice Oliveira de Almeida Flavio, há mais trabalhadores precisando realizar a travessia.

De acordo Claudenice, não será cobrada taxa para realizar a travessia. A ação é voluntária para ajudar os moradores, porém, a associação também aceita doações.

“Tem pessoa que não possui condições financeiras para levar as crianças até a escola. Diversos alunos estão há uma semana sem ir para a escola por conta do valor cobrado pela travessia de lancha, R$ 5 para ir e mais R$ 5 para voltar”, conta Claudenice.

Mesmo com o valor cobrado, a presidente afirma que os serviços dos barqueiros não podem parar. “As pessoas precisam se locomover. O certo seria DH colocar uma catraia para as pessoas atravessarem decentemente, pois, quando chove, ninguém atravessa de lancha”, diz.

Vídeo mostra flutuante da balsa entre Guarujá e Bertioga afundando

Vídeo mostra flutuante da balsa entre Guarujá e Bertioga afundando

O acidente ocorreu no dia 12 de junho, na travessia de balsas entre Guarujá e Bertioga. Um vídeo obtido pelo g1 mostra o momento exato em que o flutuante da balsa é engolido pela maré alta instantes antes dos carros passarem pelo local (veja o vídeo acima).

O equipamento se rompeu por conta da força da maré. As informações são do Departamento Hidroviário (DH) do Governo do Estado, que é responsável pelas travessias. O serviço está paralisado e não há previsão de quando será retomado.

Vídeo mostra mergulhadores trabalhando no atracadouro que desabou

Vídeo mostra mergulhadores trabalhando no atracadouro que desabou

Após o acidente, o Departamento Hidroviário (DH) utilizou mergulhadores para fazer uma análise completa das estruturas do flutuante, que tem cerca de 70 toneladas. Em um novo vídeo, obtido pelo g1, é possível ver os mergulhadores entrando no mar para observar as condições do atracadouro, que está submerso a aproximadamente três metros do nível do mar.

A vistoria feita por mergulhadores foi concluída na terça-feira (14) e entregue à equipe de engenharia do DH. Ela será anexada nas análises da equipe de engenharia do DH, que irá concluir o laudo sobre os danos estruturais.

“Esse laudo final irá apontar os possíveis danos estruturais da ponte e definir quais os trabalhos que serão necessários para reestabelecer o sistema, com segurança”, informou o DH.

Vídeo mostra mergulhadores trabalhando no atracadouro que desabou e foi parar no fundo do mar na travessia entre Guarujá e Bertioga — Foto: Reprodução

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

guaruja-oferece-11-vagas-de-trabalho-nesta-sexta-feira

Prefeitura de Guarujá

Guarujá oferece 11 vagas de trabalho nesta sexta-feira

Chances para trabalhar estão disponíveis no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) da Cidade Grupo Madero 2 vagas – Auxiliar de Cozinha Não é exigida experiência Ensino Médio incompleto Ter Título de Eleitor Estar em dia com o Serviço Militar Ter disponibilidade para se mudar Buscar o primeiro emprego 2 vagas – Auxiliar de Limpeza Não é exigida experiência Ensino Médio incompleto Ter Título de Eleitor Estar em dia com […]

today23 de junho de 2022 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%