G1 Mundo

‘Dr. Deep’ ressurge após recorde de 100 dias vivendo debaixo d’água

today10 de junho de 2023 7

Fundo
share close

Joseph Dituri bateu o recorde de maior tempo vivendo debaixo d’água sem despressurização, ou seja, sem o processo de diminuir a pressão do ar dentro do espaço, durante 100 dias. Ele ficou submerso no Jules’ Undersea Lodge, um hotel subaquático, em Key Largo, a 9,14 metros de profundidade.

Dr. Joseph Dituri bateu recorde ao ficar 100 dias em um alojamento subaquático na Flórida, nos Estados Unidos. — Foto: Mariano Lorde/Florida Keys News Bureau via Associated Press



O professor, que é mergulhador e pesquisador da área médica, quebrou a marca anterior de 73 dias, duas horas e 34 minutos, atingida por dois irmãos, também professores, do Tennessee, em 2014.

“Nunca foi pelo recorde”, disse Dituri à agência. “É sobre estender a tolerância humana para o mundo subaquático e para um ambiente isolado, confinado e extremo.”

Dituri, que também é chamado de ‘Dr. Deep Sea’ (Dr. Mar Profundo, em português), é um professor da Universidade do Sul da Flórida, com doutorado em engenharia biomédica, além de ser um oficial aposentado da Marinha americana.

Dr. Joseph Dituri ressurgiu nesta sexta-feira (9) depois de passar 100 dias submerso na Flórida — Foto: Andy Newman/Florida Keys News Bureau via Associated Press

O recorde de Dituri foi registrado pelo Guinness World Records após seu 74º dia submerso, no mês passado. A Marine Resources Development Foundation, proprietária do hotel subaquático, vai pedir ao Guinness que certifique a marca de 100 dias de Dituri, de acordo com o chefe da fundação, Ian Koblick.

O desafio de Dituri, chamado de Projeto Neptune 100, foi organizado pela fundação. Diferentemente de um submarino, que usa tecnologia para manter a pressão interna quase igual à da superfície, o interior do alojamento é ajustado para corresponder à pressão mais alta encontrada debaixo d’água.

O projeto tinha como foco aprender mais sobre como o corpo e mente humanos reage à exposição prolongada à pressão extrema e ao ambiente isolado, e foi projetado para beneficiar pesquisadores oceânicos e astronautas em futuras missões a longo prazo.

Professor volta para a superfície depois de 100 dias submerso em um alojamento — Foto: Andy Newman/Florida Keys News Bureau via Associated Press

Durante os três meses e nove dias que passou debaixo d’água, Dituri realizou experimentos diários e medições para monitorar como seu corpo respondia ao aumento da pressão ao longo do tempo.

Ele também fez encontros online com milhares de estudantes de doze países, ministrou um curso da USF, além de receber 60 visitantes em seu espaço.

“O mais gratificante disso é a interação com quase 5 mil alunos e a preocupação deles em preservar, proteger e rejuvenescer nosso ambiente marinho”, disse Dituri.

Ele planeja apresentar as descobertas do Projeto Neptune 100 na Conferência Mundial de Medicina Extrema, em novembro, na Escócia.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

veja-a-cronologia-das-buscas-pelas-4-criancas-desaparecidas-na-amazonia-colombiana

G1 Mundo

Veja a cronologia das buscas pelas 4 crianças desaparecidas na Amazônia colombiana

O Exército colombiano começa as buscas no mesmo dia. Mais de 60 homens treinados e equipados foram deixados no local para iniciar a procura. Segundo a Aeronáutica da Colômbia, o avião Cessna C206, com matrícula HK 2803, apresentou uma falha no motor, situação que obrigou o piloto a declarar a aeronave em estado de emergência e a fazer um pouso de emergência durante a madrugada. Em segunda-feira, 14 dias após […]

today10 de junho de 2023 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%