G1 Mundo

Drone com sonar e triangulação com gravações de rádio: dono de empresa de exploração que afirma ter encontrado avião de Amelia Earhart detalha processo de buscas à aeronave

today1 de fevereiro de 2024 5

Fundo
share close

Segundo Tony, as buscas contaram com a utilização da tecnologia de sonar num drone no fundo do mar, gravações de rádio feitas por Amelia durante a viagem e cálculos para determinar a localização do avião e as condições em que se encontraria.

“Começamos examinando o último voo dela. Analisamos a trajetória do voo, os ventos, a altitude, e todas as outras informações que tínhamos, e chegamos a uma área que consideramos razoável e com a probabilidade mais alta de onde ela poderia ter caído”, disse.

Tony afirmou que a empresa utilizou seis chamadas de rádio feitas por Amelia durante o trajeto, o que ajudou a delimitar melhor as áreas de busca.



Cada uma dessas chamadas de rádio forneceu pistas muito importantes sobre o que ela estava fazendo, o que estava pensando e sobre suas intenções. Ao analisar tudo isso, que é como um enigma perfeito, e utilizar essas informações, chegamos a uma área e a dividimos em setores. Adotamos uma abordagem matemática e atribuímos uma probabilidade a cada setor, levando em consideração também a dificuldade de busca. Por exemplo, se fosse uma região com terreno acidentado, mais difícil de ser pesquisada, em comparação a uma área plana com fundo arenoso”, explicou Tony.

A partir desses dados, foi delimitada uma área do Oceano Pacífico, entre a Austrália e o Havaí, a cerca de 160 quilômetros da Ilha de Howland. A localização exata não foi divulgada pela Deep Sea Vision.

Com a utilização de um drone submarino com tecnologia de sonar, as buscas da empresa produziram uma imagem desfocada com uma silhueta similar à do avião de Amelia, que era do modelo Lockheed Model 10-E Electra.

Imagens feitas pela expedição Deep Sea Vision supostamente da aeronave de Amelia Earhart — Foto: @deep.sea.vision

Segundo Tony, sua equipe trabalhou com três características-chave para comparar o modelo do avião de Amelia e as imagens de sonar:

  1. É possível ver na imagem os dois estabilizadores verticais na parte de trás;
  2. A área onde a aeronave foi encontrada era plana e arenosa, portanto, ver algo sobressaindo acima da superfície seria altamente incomum;
  3. O tamanho da aeronave e as dimensões são muito próximos do que esperaríamos para a aeronave de Amelia.

Comparação entre modelo do avião de Amelia Earhart e imagem de sonar obtida por equipe de exploração Deep Sea Vision. — Foto: Reprodução/Reuters

Mas como os destroços da aeronave de Amelia, após o acidente e quase 90 anos no fundo do mar, estariam tão preservados para gerar essa silhueta na imagem de sonar? Segundo o CEO da Deep Sea Vision, aí entra a genialidade de Amelia, que até o último momento tentou se salvar.

“Quando ela aterrissou, é muito provável que tenha ficado sem combustível. Então, ela provavelmente tentou pousar a aeronave na água de forma mais suave possível. Esse pouso suave provavelmente teria mantido a estrutura da aeronave intacta. E, à medida que ela se enchia de água, teria afundado lentamente e depois girado até o fundo do mar. Ao chegar lá, a aeronave teria repousado suavemente, sem muitos movimentos. Há poucas e suaves correntes no fundo do mar. E, a essa profundidade, a 6000 metros, ou mais perto de 5000 metros, o pH e a temperatura da água preservam muito bem as coisas”, explicou Tony.

Agora, Tony quer confirmar se a silhueta é mesmo do avião de Amelia e verificar as condições do local, para então determinar se seria possível trazer à superfície. No entanto, ele afirma que esse processo pode levar anos. A equipe da Deep Sea Vision pretende voltar ao local ainda neste ano com uma câmera submarina.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘mandar-dinheiro-para-a-coreia-do-norte-e-como-estar-em-filme-de-espionagem’

G1 Mundo

‘Mandar dinheiro para a Coreia do Norte é como estar em filme de espionagem’

Anos atrás, os norte-coreanos cunharam o termo "raiz Hallasan" para designar pessoas que recebem ajuda de desertores no Sul, diz Hwang. Hallasan refere-se ao Monte Halla, um famoso vulcão na pitoresca ilha de Jeju, na Coreia do Sul. "Uma pessoa de família Hallasan é considerada o cônjuge mais desejável, até mais que os membros do Partido Comunista", diz ele. Uma pesquisa de 2023 realizada pelo Centro de Banco de Dados […]

today1 de fevereiro de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%