G1 Santos

Educação humanizada em foco na metodologia de ensino do Colégio Gratitude

today17 de abril de 2024 4

Fundo
share close

Ensinar é uma arte que Daniela Ventura conhece desde que nasceu. A empresária santista nem se lembra de um período em sua vida sem que estivesse frequentando os corredores de uma escola. No caso, do tradicional Colégio Ramos Lopez, do qual seu avô materno Nelson Ventura era proprietário e diretor. “Eu praticamente nasci ali dentro”, relembra. “Estudei na unidade da Avenida Marechal Deodoro e da Avenida Ana Costa. Meu interesse [pela administração escolar] começou quando meu avô me colocou para aprender todo o funcionamento do Colégio. Ele me via como a futura diretora [da instituição], dando continuidade ao legado da família e, para isso, me fez estagiar em todas as áreas”, conta.

Ao longo de sua jornada, os pais e o avô foram responsáveis por investir nos estudos de Daniela a fim de que ela se graduasse em Pedagogia. Ela frequentou a Unisantos e fez cursos complementares, adquirindo habilidades para administrar o empreendimento familiar. A formação sólida a levou a assumir posteriormente os cargos de Coordenação e Direção no Ramos Lopez. Também era o início da pavimentação de um outro caminho: o que a levaria a construir a sua futura escola. “A influência da minha família foi fundamental para chegar até o meu próprio negócio”, diz.

A instituição fechou as portas depois de 52 anos de serviços prestados à comunidade santista como escola privada. Era chegada a hora de o senhor Ventura se aposentar, notícia que entristeceu Daniela. “Minha vida inteira foi dentro da escola e fiquei sem chão com a notícia que recebi. Eu não estava preparada financeiramente, psicologicamente e nem emocionalmente”, comenta.



Acostumada a desafios, passado o primeiro “baque”, ela encarou mais esse com naturalidade. E decidiu fundar em janeiro de 2022 o Colégio Gratitude, com o apoio de suas duas filhas, Manuela e Marina Ventura. “Fiz todo o estudo necessário para organizar uma metodologia que atendesse a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio”.

O cuidado com todos os alunos e professores na escola passa a confiança que os pais precisam — Foto: Divulgação

A metodologia é baseada no sistema tradicional, com um olhar humanizado. Daniela explica que a inclusão é a bandeira da escola. “Oferecemos vários recursos e uma rede de apoio, com neuropedagogia e um psicólogo institucional para os professores, alunos e famílias, de uma maneira leve e integrada”. Mas que ninguém se engane com o termo “tradicional” aplicado ao conceito curricular. A inovação e a tecnologia também fazem parte do dia a dia do Colégio. “Nossa estratégia é utilizar metodologias ativas, além de recursos digitais do material pedagógico escolhido pela escola, com projetos selecionados pelos professores trazendo temas atuais”, analisa a mantenedora e diretora.

Além disso, os docentes realizam periodicamente avaliações por produção de atividades. O Colégio Gratitude incentiva a participação ativa de alunos e professores a estabelecer e manter ambientes acolhedores, o que ajuda muito na evolução do processo sócio emocional. “O nosso diferencial é a flexibilidade, o acolhimento e a parceria com as famílias. Somos uma escola inclusiva não só na teoria, mas na prática, buscamos sempre a compreensão e o respeito às diferenças”.

Daniela Ventura, com a filha Manuela — Foto: Divulgação

“O Colégio Gratitude prioriza a educação humanista, tendo valores firmados em ações de solidariedade, respeito à dignidade humana, autonomia, liberdade de expressão e justiça. Nosso objetivo é eliminar manifestações de preconceito de qualquer origem”.

Daniela Ventura (Mantenedora, Diretora e Coordenadora do Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio)



Conscientização é outra palavra-chave que permeia toda a metodologia aplicada por Daniela Ventura. “Por intermédio de um ensino mais humanizado, em um ambiente mais acolhedor, promovemos a valorização do contato permanente com a natureza. Tudo isso é trabalhado com abrangência lúdica e aliando o desenvolvimento de habilidades cognitivas para formar cidadãos com competência. Dessa forma, nossos egressos podem executar o conhecimento adquirido no futuro, nas tomadas de decisão e nas escolhas profissionais”, acredita.

Para a Diretora, o cuidado com todos os alunos e professores na escola passa a confiança que os pais buscam. Ela entende a delicadeza da situação que é para familiares e tutores deixarem seus filhos em uma instituição de ensino convencional. A escola precisa “compreender a situação e automaticamente melhorar a evolução pedagógica de cada aluno. A implantação de Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) no processo do ensino e aprendizagem favorece desde o aluno com necessidades especiais em decorrência de deficiências ou transtornos até alunos com altas habilidades, por vezes negligenciados”.

Em sala de aula, professores aliam o desenvolvimento de múltiplas habilidades — Foto: Divulgação

Quanto à atuação da escola como negócio em uma cidade economicamente competitiva como Santos, Daniela entende que já tem posição consolidada. “Qualquer escola em Santos tem muitos desafios. Não nos preocupamos com isso [a concorrência], pois fazemos o nosso melhor todos os dias. A [nossa] preocupação é compreender a situação de cada família, sentar e conversar. Sempre penso que a própria família é a verdadeira divulgadora do nosso trabalho”, conclui.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

caminhoneiro-e-sequestrado-e-mantido-em-cativeiro-por-cerca-de-seis-horas-em-sp

G1 Santos

Caminhoneiro é sequestrado e mantido em cativeiro por cerca de seis horas em SP

Um motorista de caminhão, de 43 anos, foi sequestrado e mantido em cativeiro por cerca de seis horas após ser abordado por criminosos no bairro Parque Industrial das Oliveiras, em Taboão da Serra (SP). Um dos envolvidos no crime, um homem de 32 anos, foi preso enquanto dirigia o veículo na Rodovia Régis Bittencourt, em Miracatu, no interior de São Paulo. Segundo o boletim de ocorrência, Edvaldo Aparecido de Jesus […]

today17 de abril de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%