G1 Mundo

Eleições no Paquistão: ex-primeiro-ministro que está preso publica vídeo de inteligência artificial em que ‘aparece’ fazendo discurso de vitória

today9 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

Como Khan está preso, ele mesmo não concorreu, mas, sim, parlamentares ligados a ele. O partido fez um vídeo com inteligência artificial em que “Khan” faz um discurso reivindicando a vitória.

Há um aviso na tela que diz que se trata da “voz de inteligência artificial autorizada” de Khan.

Por que “Khan” diz que venceu?



Na votação, foram os parlamentares independentes, a maioria deles apoiados por Khan, que conquistaram o maior número de cadeiras – 92 das 225 apuradas até 13h (horário de Brasília).

No entanto, os membros independentes não podem formar um governo por conta própria, de acordo com o sistema eleitoral do Paquistão, que também inclui assentos reservados que serão distribuídos aos partidos com base em seus ganhos.

Mas os membros independentes têm a opção de se filiar a qualquer partido após as eleições. O partido de Khan foi impedido de participar da eleição, portanto seus partidários concorreram como independentes.

Por que o outro candidato diz que venceu?

Sharif declarou vitória nas eleições nacionais porque seu partido foi o mais votado no país. Ele afirmou que vai conversar com outros grupos para formar um governo de coalizão, já que não conseguiu conquistar uma maioria clara de assentos no Parlamento.

O anúncio de Sharif foi feito após mais de três quartos dos 265 assentos terem declarado os resultados, mais de 24 horas após o término da votação na quinta-feira, marcada pela morte de 28 pessoas em ataques de militantes.

Analistas previram que talvez não houvesse um vencedor claro, aumentando os problemas de um país que luta para se recuperar de uma crise econômica enquanto enfrenta o aumento da violência militante em um ambiente político profundamente polarizado.

Veja quais assentos já foram definidos:

  • Independentes: 92
  • A Liga Muçulmana do Paquistão (PML-N), de Sharif: 64,
  • Partido Popular do Paquistão (de Bilawal Bhutto Zardari, filho da premiê assassinada Benazir Bhutto: 50.

O restante foi conquistado por pequenos partidos e outros independentes.

“A Liga Muçulmana do Paquistão é hoje o maior partido do país após as eleições e é nosso dever tirar o país do turbilhão”, disse Sharif em uma entrevista coletiva na cidade de Lahore, no leste do país.

“Quem quer que tenha obtido o mandato, sejam independentes ou partidos, nós respeitamos o mandato que obtiveram”, afirmou ele. “Nós os convidamos a se sentar conosco e ajudar esta nação ferida a se reerguer.”

Sharif, de 74 anos, premiê por três vezes, voltou de quatro anos de exílio autoimposto no Reino Unido no final do ano passado, depois de ter disputado a última eleição em uma cela de prisão devido a uma condenação por corrupção.

Ele era considerado o favorito para liderar o país, depois de uma longa disputa com os militares.

Sharif disse que seu partido teria preferido conquistar uma maioria própria, mas, na ausência dessa maioria, entraria em contato com outros, inclusive o ex-presidente Asif Ali Zardari, do PPP, para iniciar as negociações já na noite de sexta-feira.

Ex-primeiro-ministro preso

Em primeira reação, um assessor sênior de Khan disse que os líderes de seu partido Movimento Paquistanês pela Justiça (PTI) conversariam entre si e também se encontrariam com Khan na prisão no sábado para discutir os resultados, informou a Geo News.

Os resultados da votação sofreram um atraso incomum, que o governo interino atribuiu à suspensão dos serviços de telefonia móvel – uma medida de segurança antes da eleição de quinta-feira.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

governo-milei-libera-policia-para-usar-armas-para-impedir-fuga-de-suspeito-na-argentina

G1 Mundo

Governo Milei libera polícia para usar armas para impedir fuga de suspeito na Argentina

Os agentes federais poderão atirar nas seguintes circunstâncias: Evitar um crime grave.Atirar em quem representa um “perigo iminente e oponha resistência à autoridade".Atrirar "para impedir a fuga daquele que represente esse crime iminente até que seja detido". A norma considera que perigo iminente é uma situação em que uma pessoa "age sob ameaça de morte ou de ferimentos graves para si mesma ou para terceiros", ou se estiver portando uma […]

today9 de fevereiro de 2024 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%