G1 Mundo

Élisabeth Borne, primeira-ministra da França, pede demissão

today8 de janeiro de 2024 6

Fundo
share close

Macron aceitou o pedido de demissão e escreveu um agradecimento público na rede social X (Twitter).

Borne, de 62 anos, assumiu o cargo de primeira-ministra em maio de 2022. Ela foi a segunda mulher a chefiar o governo francês.

Durante os 20 meses dela como chefe, o governo não teve maioria absoluta no Parlamento. . Esse peíodo foi marcado pelas discussões da reforma da Previdência, imposta por decreto, e por um episódio de distúrbios urbanos em meados de 2023.



Em dezembro, foi aprovada uma reforma das políticas para os imigrantes que foi considerada conservadora. Para obter apoio da direita, o governo de Macron tornou o texto das leis sobre imigrantes mais severas.

Em sua carta de demissão, Borne, afirmou que é “mais necessário do que nunca seguir com as reformas”.

Agora, o Parlamento francês precisará eleger um sucessor de Borne. Entre os possíveis sucessores, o ministro da Educação, Gabriel Attal, aparece como favorito, segundo fontes próximas ao Executivo. Aos 34 anos, ele se tornaria o mais jovem chefe de governo da república francesa e o primeiro homossexual assumido a ocupar o cargo.

As eleições para o Parlamento Europeu em junho de 2024 servirão de termômetro para a remodelação. O partido de extrema direita Reagrupamento Nacional, de Marine Le Pen, lidera as pesquisas com 27% dos votos, seguido pelo partido de Macron, Renascimento (19%), de acordo com uma pesquisa da Opinionway em meados de dezembro.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

agencia-dos-eua-diz-que-boeings-737-max-9-vao-seguir-sem-voar-ate-companhias-aereas-concluirem-inspecao-em-portas-como-a-que-foi-ejetada-em-voo-da-alaska

G1 Mundo

Agência dos EUA diz que Boeings 737 Max 9 vão seguir sem voar até companhias aéreas concluírem inspeção em portas como a que foi ejetada em voo da Alaska

O uso dos aviões já estava suspenso desde sábado, um dia depois que uma porta de emergência de um voo da Alaska Airlines foi ejetada quando a aeronave estava no ar. Ninguém ficou ferido, mas o piloto teve de fazer um pouso de emergência, e todos os voos com Boeings 737 Max 9 foram cancelados na sequência. Em comunicado nesta segunda, no entanto, a FAA disse que decidiu manter a […]

today8 de janeiro de 2024 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%