G1 Mundo

Em Cuba, moradores protestam contra apagões e falta de comida

today18 de março de 2024 8

Fundo
share close

Os manifestantes em Santiago saíram às ruas com gritos de “energia e comida”, de acordo com vídeos postados nas mídias sociais, com apagões em alguns lugares se estendendo por 18 horas ou mais por dia, colocando em risco os alimentos congelados e aumentando as tensões na ilha.

Cuba entrou em uma crise econômica quase sem precedentes desde a pandemia da Covid-19, com uma grande escassez de alimentos, combustível e medicamentos, o que provocou um êxodo recorde de mais de 400 mil pessoas que migraram para os Estados Unidos.

Governo confirma que houve protestos



Díaz-Canel confirmou o protesto em Santiago na plataforma de mídia social X, logo após o término da manifestação.

“Várias pessoas expressaram sua insatisfação com a situação do serviço elétrico e da distribuição de alimentos”, disse Díaz-Canel. “A disposição das autoridades do Partido, do Estado e do Governo é atender às reclamações do nosso povo, ouvir, dialogar, explicar os diversos esforços que estão sendo realizados para melhorar a situação, sempre em uma atmosfera de tranquilidade e paz.”

Díaz-Canel também afirmou que “terroristas” dos Estados Unidos estavam tentando fomentar novas revoltas.

“Esse contexto será aproveitado pelos inimigos da Revolução para fins de desestabilização”, disse Díaz-Canel no X.

A polícia chegou a Santiago para “controlar a situação” e “evitar a violência”, de acordo com um relato publicado na mídia social pela estatal CubaDebate.

Não ficou imediatamente claro se alguém havia sido preso durante o protesto.

Beatriz Johnson, uma autoridade do Partido Comunista de Santiago, disse que os manifestantes na cidade do leste cubano foram respeitosos e ouviram atentamente as explicações do governo sobre a escassez de alimentos e eletricidade.

Vídeos nas mídias sociais sugerem que a manifestação foi pacífica.

A capital cubana, Havana, e locais periféricos pesquisados pela agência de notícias Reuters pareciam calmos no final da noite de domingo. A Reuters não pôde confirmar imediatamente a veracidade de vídeos nas mídias sociais de supostos protestos em outras cidades cubanas.

EUA falam sobre protestos, Cuba reage

O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Vedant Patel, disse que os protestos em Cuba “refletem uma situação desesperada” e considerou “absurda” a acusação de que está por trás das manifestações.

No domingo às noite, a embaixada dos EUA em Cuba publicou na rede X uma mensagem para pedir ao governo cubano “o respeito aos direitos humanos dos manifestantes e atender às necessidades legítimas do povo cubano”.

O governo de Cuba reagiu nesta segunda-feira (18): convocou o encarregado de negócios da embaixada dos EUA em Havana, Benjamin Ziff, à chancelaria pela “conduta intervencionista” do governo americano durante os protestos.

O vice-ministro de Relações Exteriores, Carlos Fernández de Cossío, “transmitiu formalmente” a Ziff “o firme repúdio à conduta intervencionista e às mensagens caluniosas do governo americano e sua embaixada em Cuba sobre assuntos internos da realidade cubana”, disse a chancelaria em um comunicado.

Veja abaixo uma reportagem de 2022 sobre centenas de pessoas condenadas em Cuba por participarem de protestos.

Suprema Corte de Cuba condena mais de cem pessoas à prisão por violência em protestos, no ano passado

Suprema Corte de Cuba condena mais de cem pessoas à prisão por violência em protestos, no ano passado




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

e-#fake-que-o-rei-charles-iii-morreu

G1 Mundo

É #FAKE que o rei Charles III morreu

A circulação de um comunicado falsamente atribuído ao Palácio de Buckingham sobre o monarca do Reino Unido viralizou nas redes sociais nesta segunda (18) e levantou questionamentos sobre seu estado de saúde. Charles III foi diagnosticado com câncer - não foi informado de qual tipo - em fevereiro e passa por tratamento. Rei Charles III após sua coroação, em 6 de maio de 2023. — Foto: Stefan Rousseau / POOL […]

today18 de março de 2024 11

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%