G1 Mundo

Em entrevista, Musk nega aumento de discurso de ódio na plataforma

today12 de abril de 2023 16

Fundo
share close

Falando à rede britânica BBC – com quem tem travado um embate nas últimas semanas -, Musk disse ainda achar “doloroso” ser dono da rede social.

Na entrevista, na sede do Twitter, em São Franscico, Musk disse achar que, desde que assumiu a plataforma, há menos desinformação e notícias falsas – o que contrasta com estudos sobre o tema (leia mais abaixo). Ele afirmou estar colocando “muito esforço” para diminuir a desinformação e contas falsas na plataforma.

“Há menos (discurso de ódio no Twitter) nestes dias porque eliminamos muitas contas robô. Não temos mais tantas (contas falsas) como tínhamos antes (de ele assumir a rede), porque eu tenho dado muita atenção à isso”, declarou à BBC.



No encontro, que ocorreu na segunda-feira (10) no Ministério da Justiça, em Brasília, representantes da plataforma no Brasil negaram achar que um perfil com foto de assassinos de crianças (perpetradores dos massacres em escolas) violasse os termos de uso da rede.

Disseram ainda que não se tratava de apologia ao crime – as contas foram elencadas na reunião pelo governo e mostravam não só imagens de crianças agredidas como ameaças e músicas enaltecendo ataques a escola.

Diante do posicionamento, o ministro da Justiça, Flávio Dino, e a assessora responsável pelo tema no Ministério, Estela Aranha, subiram o tom contra a rede. Os dois se mostraram indignados com o posicionamento descompromissado e pouco colaborativo do Twitter, segundo manifestação de três pessoas que estiveram na reunião.

Estudos citados pela BBC também apontam a tendência de que a disseminação das fake news aumentaram após Musk comprar a companhia, no fim do ano passado. Na entrevista, o bilionário não citou dados ou pesquisas que indicassem a diminuição de discurso de ódio e contas falsas na plataforma.

Nas últimas semanas, Elon Musk vem travando um embate com a BBC por conta da forma como o Twitter descreve a rede britânica na plataforma – “mídia financiada pelo governo”. Na semana passada, a BBC – que é independente e é financiada por uma impostos públicos – se manifestou publicamente contra a designação e exigiu mudanças a Musk.

Na entrevista, o bilionário disse que irá mudar a frase, mas, até a última atualização desta notícia, a designação da conta da BBC no Twitter continuava a mesma – “mídia financiada pelo governo”.

Twitter causa espanto em reunião com o governo federal

Twitter causa espanto em reunião com o governo federal




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

junta-militar-de-mianmar-confirma-autoria-de-ataque-aereo-que-matou-mais-de-50-pessoas

G1 Mundo

Junta militar de Mianmar confirma autoria de ataque aéreo que matou mais de 50 pessoas

O porta-voz da junta militar, Zaw Min Tun, informou na noite desta terça-feira (11) que uma cerimônia estava ocorrendo na aldeia de Pazi Gyi para abrir um escritório das Forças de Defesa do Povo (PDF, na sigla em inglês), os grupos armados antigolpe. "Houve uma cerimônia de abertura do escritório [na terça-feira] pela manhã, por volta das 8h00 na aldeia de Pazi Gyi. Atacamos o local", disse o porta-voz da […]

today12 de abril de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%