Pleno News

Embaixador de Israel à ONU ergue foto de Mahsa Amini, durante discurso do presidente iraniano

today21 de setembro de 2023 4

Fundo
share close

Lawrence Maximo – 21/09/2023 12h47

Protesto Mahsa Amini Foto: EFE/Mario Guzmán

O presidente iraniano Ebrahim Raisi é chamado de “açougueiro de Teerã” à luz de seu envolvimento na execução em massa de presos políticos iranianos, na década de 80.

O embaixador de Israel nas Nações Unidas, Gilad Erdan, acenou uma foto de Mahsa Amini, jovem iraniana morta sob custódia da polícia de “moralidade de Teerã” em setembro passado, durante um discurso do presidente iraniano, Ebrahim Raisi, na Assembleia Geral da ONU, na última terça-feira (19).


A foto incluía leitura de texto: “As mulheres iranianas merecem liberdade agora!”.

Erdan e a delegação israelense começaram a sair do plenário depois de exibir a foto. O embaixador foi detido temporariamente pelo pessoal de segurança da ONU, depois de sair do plenário.

– Enquanto o açougueiro de Teerã está falando na ONU e sendo respeitado pela comunidade internacional, centenas de iranianos estão protestando lá fora, gritando e pedindo à comunidade internacional que acorde e ajude-os! É uma vergonha que os embaixadores fiquem ouvindo um assassino em massa. Saí do salão para deixar claro que o Estado de Israel apoia o povo iraniano. Exorto a comunidade internacional a parar a loucura e impedir que assassinos e antissemitas venham falar aqui na ONU – disse Erdan.



Protestos eclodiram em todo o mundo em resposta à morte da curda-iraniana Mahsa (Jina) Amini, de 22 anos, em setembro passado, após sua prisão pela “polícia moral” por usar um “hijab de forma imprópria”. Mas o protesto contra o uso obrigatório do hijab é apenas o símbolo mais visível da repressão.

A nova geração de manifestantes, em todo o país, ecoa as frustrações de gerações passadas: pessoas cansadas de viver sem direitos fundamentais e de serem governadas por quem desconsidera insensivelmente o bem-estar de seu povo. E desde o começo deste mês, protestos ocorreram em várias cidades do Irã para marcar o aniversário da morte de Amini.

A demanda por igualdade desencadeada por mulheres e estudantes se transformou em um movimento nacional do povo iraniano contra um regime totalitário que sistematicamente nega seus direitos, espanca, tortura, mata, viola mulheres, administra mal a economia e leva as pessoas à pobreza.

Por fim, a ONU transformou-se em uma cooperativa partidária, ideológica, antissionista, parceira de ditaduras, aliada de tiranos, com fins exclusivamente financeiros.

Siga-me no Instagram.

Lawrence Maximo é cientista político, analista internacional de Israel e Oriente Médio, professor e escritor. Mestrando em Ciência Política: Cooperação Internacional (ESP), Pós-Graduado em Ciência Política: Cidadania e Governação, Pós-Graduado em Antropologia da Religião e Teólogo. Formado no Programa de Complementação Acadêmica Mastership da StandWithUs Brasil: história, sociedade, cultura e geopolítica do Oriente Médio, com ênfase no conflito israelo-palestino e nas dinâmicas geopolíticas de Israel. Escreve artigos para o jornal Gazeta do Povo.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Zambelli sobre vídeo de Janja em NY: “Mulher deslumbrada”

2 “Humanidade abriu portões do inferno”, diz secretário da ONU

3 Zelensky não aplaude discurso de Lula na Assembleia da ONU

4 Rosângela Moro sobre discurso de Lula na ONU: ‘Show de hipocrisia’

5 Em discurso na ONU, Lula ataca “aventureiros de extrema-direita”

Siga-nos nas nossas redes!

O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Pleno News.

Por: Lawrence Maximo

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

seguranca-que-espancou-e-matou-estudante-em-casa-noturna-e-condenado-a-18-anos-de-prisao

G1 Santos

Segurança que espancou e matou estudante em casa noturna é condenado a 18 anos de prisão

Imagens mostram início da briga entre clientes e segurança em casa noturna de Santos, SP Thiago Ozarias Souza é apontado como principal agressor, responsável por desferir pelo menos 12 golpes contra a vítima. Ele foi julgado por homicídio qualificado por motivo fútil, meio cruel e sem chance de defesa da vítima. O julgamento teve início por volta das 10h da última quarta-feira (20) e terminou por volta da meia noite. […]

today21 de setembro de 2023 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%