G1 Mundo

Entenda por que a presidente da universidade Harvard, nos EUA, renunciou após manifestações de alunos pró-Palestina

today2 de janeiro de 2024 5

Fundo
share close

Ela estava sendo pressionada a deixar o cargo após ter dado um depoimento no Congresso dos EUA sobre antisemitismo no campus da universidade. Desde então, começaram a surgir denúncias de que ela teria publicado artigos acadêmicos com trechos plagiados de outros estudos.

Gay estava no cargo desde julho.

A polêmica começou após manifestações pró-Palestina de estudantes em universidades dos EUA. Gay e outros presidentes de universidades dos EUA foram convocados para prestar depoimento no Congresso.



Durante o depoimento dela, perguntaram a Gay se as manifestações de alunos de Harvard que pediam o genocídio do povo judeu seriam uma violação das regras de assédio da universidade. Gay então disse o seguinte: “Podem ser, dependendo do contexto”. Para os opositores de Gay, a frase foi evasiva e não foi suficientemente incisiva.

Posteriormente, ela chegou a pedir desculpas pela frase.

Depois do depoimento dela no Congresso, começaram a aparecer as acusações de plágio.

Inicialmente, três artigos acadêmicos dela foram analisados. Concluiu-se que ela não violou os padrões de pesquisa, mas que havia citações que foram feitas de forma equivocada. A presidente afirmou que ia pedir para inserir correções.

Em um segundo momento, apareceram outras duas acusações de problemas com citações dissertação de doutorado da presidente, de 1997.

Na segunda-feira (1º) surgiram novas acusações. Ela, então, renunciou.

Em sua carta de renúncia, Gay afirma que “ficou claro que o melhor para a Universidade Harvard é que eu renuncie e que nossa comunidade possa navegar esses momento de grandes desafios com foco na instituição, e não em um indivíduo”.

Ela disse também que tem disso estressante que as pessoas tenham colocado em dúvida seus compromissos em combater o ódio e se ater ao rigor acadêmico, que são “dois valores fundamentais para quem eu sou, e é assustador ser objeto de ataques pessoais e ameaças motivados por preconceito racial.”




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

‘foi-um-milagre’:-como-passageiros-de-voo-da-japan-airlines-conseguiram-escapar-de-‘bola-de-fogo’-apos-choque-com-outra-aeronave

G1 Mundo

‘Foi um milagre’: como passageiros de voo da Japan Airlines conseguiram escapar de ‘bola de fogo’ após choque com outra aeronave

Sua mente voltou-se para o reencontro com sua esposa Mika enquanto as rodas do avião derrapavam na pista, antes de ele ser sacudido por um barulho e um estrondo e então se virasse para ver o motor pegando fogo do lado de fora de sua janela. A colisão gerou uma explosão instantânea em ambos os aviões. Na aeronave da Guarda Costeira, cinco dos seis tripulantes morreram - apenas o piloto […]

today2 de janeiro de 2024 13

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%