Pleno News

Entenda porque o Hamas atacou Israel

today9 de outubro de 2023 8

Fundo
share close

Pedro Augusto – 09/10/2023 12h30

Local atingido por míssil em Israel Foto: EFE/EPA/ATEF SAFADI

O tema Israel e Palestina voltou ao debate após os ataques terroristas protagonizados pelo Hamas tirarem a vida de centenas e uma guerra entre os dois povos se iniciar.

A seguir, você entenderá a causa do conflito e porque ainda não se resolveu.

A Palestina


O território palestino é uma região localizada no Oriente Médio e passou a ser chamado assim no século 2, quando Roma esmagou uma revolta dos judeus. O imperador Adriano mudou o nome da região de Judeia para Palestina para provocar os judeus, já que a palavra lembrava o nome de um antigo inimigo de Israel: os filisteus.

Ao longo dos séculos seguintes, a Palestina foi controlada por grandes potências políticas como romanos, muçulmanos, mamelucos, otomanos e britânicos.



Apesar de a região estar sob o controle de potências estrangeiras, os judeus mantiveram uma ligação com a região; afinal, ali foi o reino de Israel por muitos séculos e a querida cidade de Jerusalém.

A presença maciça do grupo voltou no século 19 quando judeus, vítimas do antissemitismo, passaram a comprar terras desabitadas do local para fugirem da perseguição na Europa.

No fim do século 19, um crítico literário chamado Theodor Herzl liderou um movimento para a criação de uma nação para abrigar os judeus vítimas de perseguições.

O movimentou ganhou forças e, em 1947, o Império Britânico, que controlava a Palestina, criou um comitê para a partilha da região em dois estados: um judeu e um árabe.

O Brasil foi essencial para estabelecer Israel como Estado. O diplomata brasileiro Oswaldo Aranha presidiu sessão na Assembleia Geral da ONU e apoiou a partição da Palestina britânica em dois estados: Israel para os judeus e a Palestina para os árabes.

No entanto, a criação do novo Estado teve resistência árabe, que queria o controle total da região. As tensões geraram conflitos e levaram à morte de muitas pessoas.

Os árabes alegavam que o aumento da migração judia para a região era fruto da interferência das potências ocidentais na região; muitas vezes, para massacrar os moradores locais.

Além disso, alguns muçulmanos acreditam que o estabelecimento de Israel é o resultado da decadência da sociedade islâmica e do afastamento de Alá.

Após a aprovação da criação do Estado de Israel, os árabes entraram em guerra com Israel, que conseguiu aumentar, ainda assim, em 20 mil quilômetros quadrados o seu território.

Mais uma guerra ocorreu em 1967, quando Egito, Jordânia, Iraque e Síria entraram em conflito contra Israel. Eles perderam e Israel ainda aumentou o seu controle na região, conquistando a cidade de Jerusalém.

As rivalidades continuaram aumentando, até que em 1993 e 2000, o presidente dos EUA, Bill Clinton, mediou dois acordos entre Israel e a Organização pela Libertação da Palestina (OLP).

O autor do livro O Filho do Hamas, o palestino Mosab Hassan Yousef e o professor de Harvard Alan Dershowitz afirmam que as lideranças palestinas não aceitaram os tratados porque, caso o fizessem, perderiam o sentido de sua existência: muito poder e dinheiro.

Por que eles não se entendem?


Para Israel, o povo palestino está em seu antigo território, dado por Deus ao Seu povo. Eles ainda creem que essa terra é local de proteção para qualquer judeu. Já os palestinos, acreditam que a existência de Israel é fruto de uma interferência imperialista nas terras sagradas do Islã.

O Hamas


Criado em 1987, o grupo escreveu uma carta em 1988 afirmando que “Israel existirá e continuará existindo até que o Islã o apague”. Os terroristas ainda acreditam que “a hora do julgamento não chegará até que os muçulmanos combatam os judeus e terminem de matá-los”.

De acordo com informações do jornal Wall Street Journal, o Hamas contou com o apoio do Irã para fazer os atentados terroristas. Esses ataques ocorrem em meio a uma possível perda de poder dos iranianos no Oriente Médio.

A Arábia Saudita e o Irã disputam para ter a maior influência entre os povos muçulmanos. Porém, nos últimos meses, os sauditas e Israel estão ensaiando uma aproximação política que seria muito prejudicial ao poder dos iranianos no Oriente Médio.

Siga-me nas redes sociais e aprenda mais sobre política.

Pedro Augusto é formado em Jornalismo, já escreveu para outros sites conservadores, possui redes sociais sobre história, é viciado em livros e em breve estará cursando Teologia.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Irã nega ter ajudado o Hamas no ataque terrorista contra Israel

2 Bandeira de Israel é projetada na cúpula do Senado em Brasília

3 Em Israel, mortes por conta dos ataques do Hamas passam de 700

4 260 corpos foram encontrados em local de festival em Israel

5 Marinha israelense captura comandante sênior do Hamas

Siga-nos nas nossas redes!

O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.




Todos os créditos desta notícia pertecem a Pleno News.

Por: Pedro Augusto

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

guarda-municipal-e-baleado-durante-perseguicao-policial-em-santos,-sp

G1 Santos

Guarda municipal é baleado durante perseguição policial em Santos, SP

Ele foi alvejado na perna esquerda e encaminhado para atendimento na Santa Casa de Santos. O estado de saúde dele é estável. Guarda Municipal é baleado durante perseguição policial no litoral de SP — Foto: g1 Santos Um guarda civil municipal, de 41 anos, foi baleado enquanto fazia apoio a uma perseguição policial, na manhã desta segunda-feira (9), em Santos, no litoral de São Paulo. Ele foi atingido na perna […]

today9 de outubro de 2023 1

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%