G1 Mundo

Entrar no forno, se jogar na piscina: o que sobreviventes fizeram para se salvar dos incêndios no Chile

today11 de fevereiro de 2023 12

Fundo
share close

“Lutei jogando água e tive que recorrer ao forno porque era o único refúgio que eu tinha. Não havia outro lugar. A salvação foi o forno”, contou Aroca.

As chamas atingem o território chileno há dias e, na sexta-feira (3), chegaram a Santa Juana, a 550 km de Santiago, onde fica a casa do agricultor de 68 anos. Aroca é uma das 5.557 pessoas que ficaram sem casa na atual onda de incêndios.

No caso dele, os 30 anos de experiência produzindo carvão foram cruciais para que pudesse salvar a própria vida e a de seu cachorro, Dante. Ele sabia que se ficasse de pé não sobreviveria e, então, apoiou-se sobre os cotovelos e os joelhos dentro do forno até ser resgatado.



“Se você fica de pé lá dentro, o calor e a fumaça não vão deixá-lo viver. Mas abaixando-se no chão, consegue sobreviver”, explicou Aroca. Agora, ele tenta se recompor e já trabalha na reconstrução de sua casa.

Marisela Sáez também foi afetada pelo fogo que, em uma semana, já deixou ao menos 24 mortos e 2.196 feridos. Ela teve que improvisar para manter sua família com vida: atirou-se em uma piscina com os filhos após se ver cercada pelas chamas.

Um vídeo que viralizou mostra o momento em que, diante da aproximação das chamas, em um setor rural do município de Santa Juana, o dono de um terreno vizinho chamou a mulher e sua família para entrarem na piscina.

“O vizinho nos disse que tínhamos que mergulhar até o pescoço. Ajoelhei e abracei minha filha, minha mãe abraçava o meu pequenino. Meu pai e os vizinhos entraram e aí senti o fogo, o calor, e pensei que íamos todos morrer aqui”, disse Sáez a uma emissora local.

Já Felipe Bru, um piloto de 55 anos, não teve o pedido de ajuda atendido. Na terça-feira (7), três homens não permitiram que ele retirasse a água da piscina de um prédio privado para socorrer quatro casas que queimavam em Yumbel, na região de Biobío.

“Foi a primeira vez que me negaram a possibilidade de recolher água durante uma emergência. É realmente penoso ver a situação de que as chamas não recuam e a água não chega”, disse Bru. Uma das casas queimou totalmente, afirmou.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

a-colossal-obra-que-girou-predio-inteiro-nos-eua-ha-quase-um-seculo

G1 Mundo

A colossal obra que girou prédio inteiro nos EUA há quase um século

Ao longo das últimas décadas, as técnicas foram refinadas, as máquinas encarregadas da transferência ficaram mais potentes e os métodos se tornaram mais variados, desde a instalação de balões de hélio até o uso de trilhos ou cordas. Estruturas de todos os tipos foram realocadas: antigas casas vitorianas, prédios de apartamentos, escolas, fábricas e até estações de ônibus inteiras. No entanto, na década de 1930, mudanças desse tipo representavam um […]

today11 de fevereiro de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%