G1 Mundo

Equador: suspeitos de assassinato de candidato à presidência são colombianos, diz polícia

today10 de agosto de 2023 6

Fundo
share close

Villavicencio, um ex-jornalista e sindicalista, era o 5º colocado na corrida presidencial do país, que realizará eleições em 20 de agosto. Ele foi morto ao ser atingido por tiros na cabeça quando saía de um comício em Quito na noite de quarta-feira (9).

O ministro de Interior do país, Juan Zapata, afirmou que os seis suspeitos são estrangeiros. Logo depois, a polícia equatoriana disse que os seis são colombianos. Um sétimo suspeito, morto na noite de quarta em troca de tiros com policiais após o crime, também tinha a mesma nacionalidade, ainda segundo a polícia.

Zapata afirmou que dois dos suspeitos estão detidos e, agora, o governo tentará achar as causas do assassinato.



Em entrevista a meios de comunicação equatorianos, o ministro não confirmou se os suspeitos pertenciam ao grupo criminoso Los Lobos. Nesta quinta, a facção, considerada a segunda maior do país, reivindicou a autoria do atentado.

Ele disse que o governo ainda investiga as causas do assassinato.

Vídeo mostra o momento em que o candidato à presidência do Equador é assassinado

Vídeo mostra o momento em que o candidato à presidência do Equador é assassinado

Quando era jornalista, Villavicencio fez uma série de denúncias de corrupção. Nas últimas semanas, o candidato falou que vinha sendo vítima de ameaças.

Por conta do aumento da violência no Equador, autoridades eleitorais chegaram a recomendar que todos os candidatos utilizassem coletes à prova de balas. Em um comício dias antes do crime, Villavicencio chegou falar sobre a recomendação mas disse que não usaria o equipamento.

“Escutem bem: me disseram para usar o colete (a prova de balas). Aqui estou, de camisa suada, caralho. Vocês são…vocês são meu colete a prova de balas. Eu não preciso…vocês são um povo valente, e eu sou valente como vocês. São vocês que cuidam de mim. Aqui estou. Disseram que vão me quebrar. Aqui estou (…) que venham os chefes do tráfico de drogas, os mafiosos, que venham os vacinadores. Acabou a época de ameaças. Vão me quebrar? Podem me dobrar, mas nunca vão me quebrar”.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

por-que-deflacao-na-china-preocupa-o-mundo

G1 Mundo

Por que deflação na China preocupa o mundo

O índice oficial de preços ao consumidor, uma medida de inflação, caiu 0,3% no mês passado em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo analistas, a queda aumenta a pressão sobre o governo para reativar a demanda na segunda maior economia do mundo. O cenário de deflação segue a divulção de índices baixos de importação e exportação, que levantaram questões sobre o ritmo da recuperação pós-pandêmica da China. O […]

today10 de agosto de 2023 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%