G1 Santos

Escritor e cineasta que morou em frente a cemitério usa histórias de terror como inspiração para suas obras

today31 de outubro de 2022 66

Fundo
share close

Desde que nasceu, o escritor e cineasta Adriano Machado Menezes, de 47 anos, já tinha uma ligação com histórias de terror. Quando criança, ele morou até os cinco anos em uma casa em frente a um cemitério, onde teve as suas primeiras lembranças. Essa ‘ligação’ inspirou Dino Menezes, como ele é conhecido, a escrever livros e projetos audiovisuais focados em histórias de terror.

Morador de Santos, no litoral de São Paulo, Dino afirma que sempre foi uma criança diferente. Enquanto os super-heróis das outras eram Super-Homem, Homem Aranha, Hulk, o dele era o Lobisomen. E, essa ligação acabou tendo influência no trabalho dele. Atualmente, todos os livros e projetos audiovisuais são focados em histórias de terror.

“Eu acho que esse universo do terror misturado com o que eu faço, que é arte e comunicação, é interessantíssimo. O público adora, e eu gosto de assustar as pessoas, comentar e contar. Mas, as minhas histórias, dentro de tudo isso, tem uma mensagem política, social, humana, e até coisas engraçadas. Esse é o nosso mundo”, disse.



Dino começou a escrever com a temática do terror na internet para entender como o público responderia. Após conquistar um retorno melhor do que tinha com outros trabalhos, nunca mais parou. As suas histórias são uma mistura de intuições e lendas reais transformadas em ficção. Para ele, o Halloween, comemorado nesta segunda-feira (31), é uma grande brincadeira.

“No Brasil, está crescendo cada vez mais o terror, e dizem que, depois de catástrofes, pandemia e guerras sempre olhamos para esse lado mais sombrio. Tentamos entender os nossos lados mais obscuros através do terror e do suspense. O Halloween é uma grande brincadeira, é legal”, explicou.

O último trabalho de Dino é o “O gato fantasma do cemitério do Paquetá”, que estreia no Festival Curta Santos na próxima sexta-feira (4). A animação é o reflexo do resultado da sua grande paixão: o terror. O filme, que conta a história de um gato que vive há 100 anos no cemitério, já foi indicado para 17 festivais, entre eles, internacionais e nacionais. A obra conquistou seis prêmios.

“A gente consegue levar Santos para outros lugares, consegue fazer essa troca de cultura, as pessoas estarem vendo a nossa cidade, consumindo as nossas histórias, o nosso terror. E essa lenda é legal porque todas pessoas que vão lá no cemitério falam: ‘Dino, eu vi o gato’, mas é porque tem muito gato lá”.

“O gato fantasma do cemitério do Paquetá” estreia no Festival Curta Santos, SP, na próxima sexta-feira (4). — Foto: Reprodução

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

bolsonaro-e-tarcisio-foram-os-mais-votados-no-segundo-turno-em-santos;-veja-o-resultado

G1 Santos

Bolsonaro e Tarcísio foram os mais votados no segundo turno em Santos; veja o resultado

Bolsonaro conseguiu a maior quantidade de votos na região com 56,20% dos votos válidos. Já Tarcísio teve a maior porcentagem com 56,58%. Tarcisio e Bolsonaro receberam a maioria dos votos na Baixada Santista — Foto: TV Globo/Antonio Cruz/ Agência Brasil Os eleitores da Baixada Santista foram às urnas neste domingo (30) para o segundo turno das eleições 2022. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a cidade de Santos […]

today30 de outubro de 2022 30

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%