G1 Mundo

Estados Unidos derrubam drones Houthis e atacam base de controle do grupo no Iêmen

today1 de fevereiro de 2024 2

Fundo
share close

Os Estados Unidos anunciaram na manhã desta quinta-feira (1º) que derrubaram dez drones e um míssil lançados pelos Houthis, o grupo rebelde que vem atacando navios no Mar Vermelho. Os EUA também disseram ter atacado uma base de controle dos militantes rebeldes, no Iêmen.

O Comando Central (Centcom) dos Estados Unidos informou em um comunicado que suas forças atacaram no Iêmen, uma “base de controle dos Houthis, usada para a manipulação de drones, bem como dez equipamentos desses (drones), que representavam uma ameaça iminente para navios da Marinha dos EUA”.

O Centcom também anunciou que derrubou um míssil balístico disparado pelos Houthis e três drones iranianos em menos de uma hora de intervalo.



Desde novembro, os rebeldes realizam ataques contra navios que passam pelo Mar Vermelho em protesto à guerra de Israel contra o Hamas, um de seus aliados, na Faixa de Gaza.

O grupo prometeu continuar os ataques até que Israel interrompa o conflito em Gaza e alertaram que atacariam navios de guerra dos EUA se o próprio grupo de milícia fosse alvo.

O Mar Vermelho é um canal entre a Península Arábica e o continente africano — em um ponto, no Estreito de Babelmândebe, a distância entre os dois continentes é de apenas 30 quilômetros de mar. O Iêmen fica em uma das pontas do estreito.

Mapa mostra o caminho que os navios fazem até chegar ao Canal de Suez — Foto: Kayan Albertin/g1

É lá que fica o Canal de Suez, a principal conexão entre a Ásia e a Europa, e o caminho marítimo que inclui o Mar Vermelho e o canal é importante para cadeias de suprimento de produtos em todo o mundo. A Agência de Energia dos Estados Unidos (EIA, por sua sigla em inglês) afirma que o local é “essencial para a segurança energética global” e no abastecimento de matérias-primas e mercadoria.

Cerca de 50 embarcações passam por lá todos os dias carregando os mais diversos produtos. Aproximadamente 10% dos bens comercializados no mundo atravessam essa passagem, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

O canal permite que os navios economizem 9 mil quilômetros, de acordo com o World Maritime Transport Council (WSC), instituição que representa as principais empresas de transporte marítimo de carga.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%