G1 Mundo

Ex-presidente de clube de futebol italiano é preso suspeito de esquema milionário de pirâmide financeira em Balneário Camboriú

today22 de março de 2024 5

Fundo
share close

Apontado como sócio-oculto de uma organização criminosa que opera como instituição financeira sem autorização, o ex-presidente do Palermo Football Club, time de futebol italiano, apropriou-se de mais de R$ 10 milhões, segundo a PF. Ao todo, 120 vítimas perderam mais de R$ 15 milhões, de acordo com a investigação.

O suspeito foi preso pela polícia italiana no sábado (16), na cidade da Vailate, segundo divulgação da PF nesta quinta-feira (21).



Operação Quéfren cumpre mandados em Santa Catarina

Operação Quéfren cumpre mandados em Santa Catarina

Investigado na Operação Quéfren, ele foi indiciado por organização criminosa; fazer operar, sem a devida autorização, instituição financeira; apropriar-se de valores de que tem a posse ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio; estelionato e lavagem de dinheiro.

Notas de dinheiro encontrado pela PF durante operação Quéfren — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Conforme a PF, ele é suspeito de ser operador, captador e destinatário final dos recursos financeiros captados por meio de uma empresa entre 2018 e 2021. Com isso, obteve, segundo a PF, mais de R$ 10 milhões.

Em 2022, foi expedido mandado de prisão pela 1ª Vara Criminal Federal em Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina e, em seguida, foi publicada Difusão Vermelha pela Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) a pedido da Justiça.

A Operação Quéfren foi feita pela PF de Itajaí. O grupo causou um prejuízo total de cerca de R$ 15 milhões às 120 vítimas, estimou a investigação. A operação foi feita em 3 de maio de 2022.

Cerca de 20 indivíduos participavam da organização. Conforme a PF, o grupo começou as atividades ilegais em 2019. Os criminosos abriram empresas que atuavam no formato de banco digital, mas sem autorização do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários.

O grupo prometia às vítimas rendimentos acima dos juros de mercado e captava dinheiro na forma de depósitos e criptomoedas. Ainda segundo a investigação da PF, a principal empresa envolvida encerrou as atividades em 2021, dizendo aos clientes que todos os investimentos estavam bloqueados em uma conta de corretora de criptomoedas.

Depois, essa mesma empresa fez um boletim de ocorrência acusando uma celebridade italiana de se apropriar do dinheiro. A polícia suspeita, porém, que esses relatos possam ser falsos e feitos com o objetivo de os criminosos se passarem por vítimas. Dessa forma, eles poderiam evitar a cobrança dos investidores.

Os suspeitos foram indiciados por organização criminosa, estelionato, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro nacional.

A operação foi chamada de Quéfren, que referência a um pirâmide do Egito Antigo.

VÍDEOS: mais assistidos do g1 SC nos últimos 7 dias




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

robinho-passa-por-audiencia-de-custodia-e-segue-para-a-penitenciaria-em-tremembe

G1 Santos

Robinho passa por audiência de custódia e segue para a Penitenciária em Tremembé

Robinho foi preso por volta das 19h na cobertura onde mora em frente à praia, no bairro Aparecida, em Santos. Ele deixou o prédio com uma equipe da Polícia Federal e seguiu até a sede da instituição policial no centro da cidade. De lá, o ex-jogador foi conduzido ao prédio da Justiça Federal, onde passou por audiência de custódia e o juiz decidiu pela manutenção da prisão. Robinho chegou no […]

today21 de março de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%