G1 Mundo

Ex-vendedor de cachorro-quente, amigo de Putin, procurado pelo FBI e conhecido pela crueldade: quem é Yevgeny Prigozhin

today18 de abril de 2023 8

Fundo
share close

Prigozhin, dono do Grupo Wagner, surpreendeu o mundo na última sexta-feira (14) ao defender o fim da invasão russa na Ucrânia, no que é considerada a primeira proposta pública do tipo feita por alguém próximo do de Putin.

“Para as autoridades [russas] e a sociedade em geral, é necessário pôr um ponto final na operação militar especial”, escreveu Prigozhin num artigo divulgado no Telegram, em referência ao modo como a Rússia chama a guerra na Ucrânia. O ideal, nas suas palavras, seria “anunciar que a Rússia alcançou os resultados que buscava e, de certa forma, nós conseguimos”.

Segundo a BBC, Prigozhin é figura controversa e teve uma ascensão surpreendente no establishment russo. A reportagem da BBC também descreve Prigozhin como um profundo conhecedor das prisões da Rússia, onde recrutou criminosos para o grupo Wagner, não importando quão graves fossem os crimes dos condenados.



“A morte de um cachorro por um cachorro”, disse Prigozhin ao endossar um vídeo que mostra um desertor do grupo de Wagner, que aparentemente havia sido devolvido pelos ucranianos em uma troca de prisioneiros, sendo assassinado de forma cruel, em novembro do ano passado.

O grupo foi fundado em 2014 e uma de suas primeiras missões conhecidas foi na península ucraniana da Crimeia, naquele mesmo ano, quando mercenários com uniformes sem identificação ajudaram forças separatistas apoiadas pela Rússia a tomar a região.

Cartaz do FBI sobre Yevgeny Prigozhin — Foto: Reprodução/FBI

Segundo o site do FBI, Prigozhin é procurado por seu envolvimento em uma conspiração para fraudar as eleições presidenciais de 2016 nos EUA. Ele foi o principal financiador da Internet Research Agency (IRA), com sede em São Petersburgo. Ele supervisionou e aprovou operações de interferência política e eleitoral nos Estados Unidos, incluindo a compra de espaço de servidor de computador americano; a criação de centenas de perfis falsos e o uso de identidades roubadas de americanos.

Em novembro do ano passado, Prigozhin admitiu a intervenção e disse que continuaria fazendo isso no futuro. “Interferimos, estamos interferindo e continuaremos interferindo. Com cuidado, precisão, cirurgicamente e à nossa maneira, como sabemos fazer. Durante nossas operações pontuais, removeremos os rins e o fígado de uma só vez”, disse.

Certa vez, antes da invasão russa na Ucrânia em fevereiro de 2022, em uma reunião com funcionário do alto escalão do governo russo, como descreveu o jornal The Guardian, Prigozhin pediu terras do Ministério da Defesa que pudesse usar para o treinamento de “voluntários”.

Prigozhin, relatou o Guardian, deixou claro que esse não era um pedido comum. “As ordens vêm do papai”, disse ele aos oficiais da Defesa, usando um apelido para Putin destinado a enfatizar sua proximidade com o presidente.

Também de acordo com o Guardian, que ouviu pessoas próximas de Prigozhin, nem o dinheiro, nem o poder foram os únicos fatores motivadores para sua ascensão. Em vez disso, dizem eles, ele é movido pela emoção da perseguição, pela crença de que está lutando contra elites corruptas e pelo desejo de esmagar seus rivais.

Em 1980, o oligarca foi condenado a 13 anos de prisão por uma série de roubos em São Petersburgo. Quando foi solto, passou a comandar um pequeno negócio de cachorro-quente. Em pouco tempo, Prigozhin foi ganhando espaço e passou a ter participação em uma rede de supermercados. Em 1995, decidiu ser hora de abrir um restaurante com seus sócios, quando seu negócio começou a crescer ainda mais.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

parlamentares-russos-aprovam-endurecimento-de-leis-usadas-contra-membros-da-oposicao

G1 Mundo

Parlamentares russos aprovam endurecimento de leis usadas contra membros da oposição

Projeto prevê prisão perpétua para casos de alta traição. Homem é detido pela polícia em ato em São Petesburgo, em 21 de abril de 2021, de apoio ao líder da oposição russa, Alexei Navalny. — Foto: Anton Vaganov/Reuters Os deputados russos aprovaram nesta terça-feira (18) uma série de emendas que endurecem as leis usadas para reprimir os membros da oposição, impondo especialmente a prisão perpétua por "alta traição". Quem auxiliar […]

today18 de abril de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%