G1 Santos

Família acusa PMs de rasparem cabeça de adolescente com facão em comunidade: ‘nos humilhando’

today19 de fevereiro de 2024 4

Fundo
share close

No momento da abordagem, cinco menores de idade e um rapaz de 18 anos estavam no local. A irmã da vítima, de 24, havia ido ao mercado quando, segundo ela, os policiais entraram no imóvel. A mulher contou ao g1 que a mãe ligou avisando o que estava acontecendo e ela retornou imediatamente.

“Eles [policiais] estavam com a porta trancada. Empurrei perguntando o que estava acontecendo e perguntaram quem eu era, meu nome, idade e se trabalho”, contou ela.

Em seguida, outro policial falou para deixarem ela entrar para que contasse o que sabia. Segundo a mulher, os agentes queriam que ela confirmasse que o adolescente já havia sido preso, mas, como isso não aconteceu, ela negou e eles deixaram o local.



Ela então viu o irmão com a cabeça raspada e sangrando e, ao questioná-lo, ele disse que os policiais tinham feito aquilo. “O medo de ir atrás deles [PMs] e falar alguma coisa é maior ainda né? […] Eles acham que todo mundo que mora na favela é bandido, traficante, mas não é”.

Segundo a mulher, após ter sido agredido pelos policiais, na última quinta-feira (15), o irmão abrigou-se na casa de outro parente e não tem ido à escola por medo.

É uma opção de vida que a gente tem. É o que a gente pode bancar. Não é porque a gente gosta de ficar ali naquele meio e confusão. […] As crianças ficaram se tremendo, com medo, todo mundo chorando sem entender porque tinha acontecido aquilo”, afirmou.

Ela contou que não registraram boletim de ocorrência por medo. “Espero que essa operação termine, porque está acabando com a vida de todo mundo. Ao invés de correrem atrás dos bandidos, que fazem coisa errada com eles, estão matando muita gente inocente e trabalhadora”.

A mãe falou que se sente insegura em sair para trabalhar como auxiliar de limpeza e deixar os filhos em casa. “Nem trabalhar em paz a gente pode mais. A qualquer momento eles podem entrar na minha casa e fazer o que quiserem”.

A mulher contou que não acredita que vá resolver algo denunciar o caso, pois, segundo ela, será a palavra da família contra a dos policiais. “A gente se sente inseguro. Quem deveria estar defendendo a gente está nos humilhando“.

Ela disse ter ficado indignada com a situação e espera que os moradores das comunidades tenham um pouco mais de paz. “A gente trabalha e luta para viver”.

“Ele [policial] meteu o facão na cabeça do meu filho, batia nele com o facão e apontando a arma na cara dele. Ele tem 15 anos”, disse a mãe.

Em nota, a SSP-SP informou que, até o momento, não houve qualquer denúncia sobre o fato, e que a Corregedoria da Polícia Militar está disponível para receber denúncias sobre a atuação policial.

Segundo a pasta, as forças de segurança do estado são instituições legalistas que atuam no estrito cumprimento do seu dever constitucional, e suas corregedorias também estão à disposição para formalizar e apurar toda e qualquer denúncia contra agentes públicos, reafirmando o compromisso com a legalidade, os direitos humanos e a transparência.

A SSP-SP informou, ainda, que desde o início da 3ª fase da Operação Verão, em 7 de fevereiro, foram presos 665 criminosos, incluindo 247 procurados pela Justiça. Além disso, foram apreendidos 156,3 quilos de drogas e 79 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito.

O g1 também entrou em contato com a Polícia Militar, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

motociclista-viu-amigo-morrer-e-diz-que-major-da-pm-percebeu-erro-apos-disparo:-‘perdi-um-irmao’

G1 Santos

Motociclista viu amigo morrer e diz que major da PM percebeu erro após disparo: ‘Perdi um irmão’

Paulo e Luan estavam em uma motocicleta, descendo de São Paulo para a Baixada Santista, na última sexta-feira (16). João Paulo, policial civil e amigo da dupla, seguia viagem em outra motocicleta, uma BMW. O plano deles era passear e comer camarão em Santos, no litoral paulista. Os PMs Rodoviários envolvidos na ação, conforme boletim de ocorrência, informaram ter observado como suspeita a atitude da dupla, como se quisesse assaltar […]

today19 de fevereiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%