G1 Mundo

Família Manson na ficção: como a seita de assassinos foi retratada em filmes e séries

today15 de julho de 2023 29

Fundo
share close

Família Manson na ficção: como a seita de assassinos foi retratada em filmes e séries

Família Manson na ficção: como a seita de assassinos foi retratada em filmes e séries



Em 1969, a seita da qual ela fazia parte invadiu a casa de Sharon Tate e do diretor Roman Polanski, e matou a atriz. Essa morte, aliás, assim como toda essa história brutal, já rendeu várias séries e filmes.

E o g1 relembra produções do cinema, da TV e do streaming que retrataram o caso ou citam personagens envolvidos nos crimes da família Manson.

Charles Manson, em imagem de outubro deste ano 2014, fornecida pelo Departamento de Correções da Califórnia. — Foto: California Department of Corrections / Via AP Photo

A família Manson era um grupo liderado por Charles Manson na década de 1960, nos Estados Unidos. Ele tinha uma influência totalmente manipuladora sob o grupo, que morava em um rancho, na Califórnia.

Em agosto de 1969, os integrantes da seita se envolveram em uma série de assassinatos, incluindo o de Sharon Tate. O cineasta Roman Polanski, marido da atriz, não estava em casa quando tudo aconteceu. Mas o grupo acabou assassinando outros 4 amigos deles que estavam no local.

No dia seguinte, ainda mataram o casal Leno e Rosemary LaBianca.

“As Discípulas de Charles Manson”

Matt Smith, Sosie Bacon e Marianne Rendón em cena de “As Discípulas de Charles Manson” — Foto: Divulgação

Leslie é personagem central do filme “As Discípulas de Charles Manson”, que foi lançado em 2018.

O longa conta um pouco da história dela e de mais duas garotas que estavam envolvidas nos crimes. Só que nele, o trio recebe pena de morte depois do julgamento.

Mas depois que esse tipo de pena é suspenso no país, elas acabam recebendo a sentença de prisão perpétua.

Durante o período na prisão, elas são acompanhadas por uma jovem estudante que é enviada pra dar aula às meninas. E aí, elas começam a se transformar e a entender a realidade dos crimes brutais que cometeram.

“Leslie, my name is evil”

Kaniehtiio Horn, Kristen Hager e Anjelica Scannura em cena de “Manson, my name is evil” — Foto: Divulgação

Leslie também foi inspiração para o personagem central de outro filme. Lançado em 2009, “Leslie, my name is evil” traz uma história de ficção inspirada na assassina.

O filme se passa durante o julgamento de Leslie e de outras duas garotas envolvidas no caso. Só que Perry, que é um engenheiro químico e que faz parte desse júri, acaba se apaixonando por Leslie. E claro, ele se vê totalmente confuso com a situação.

A produção canadense ainda faz um paralelo entre o caso da família Manson e o Massacre de My Lai, que aconteceu um ano antes, no Vietnã. Ali, mais de 500 civis, incluindo mulheres grávidas e crianças, foram mortos por tropas americanas.

Mas muitos anos antes desses dois filmes, lá em 1976, a microssérie “O Assassinato de Sharon Tate” foi um grande sucesso

Ela foi produzida para a TV, dividida em dois episódios e falava sobre a investigação e o julgamento do caso “Tate-LaBianca”.

Ele foi chamado assim, na época, por causa dos nomes da atriz e do casal que foram mortos pela seita, como já contei. A série foi indicada em três categorias do Emmy.

Mackenzie Mauzy e Jeff Ward em cena de “Manson’s Lost Girls” — Foto: Divulgação

Falando de obras mais recentes, em 2016, foi lançado o “Manson’s Lost Girls”.

Ele conta a história de Linda Kasabian, que foi uma das jovens seduzidas pela seita de Charles Manson e pelo estilo de vida de amor livre do grupo.

O filme mostra Linda chegando na comunidade hippie, e em seguida, sendo atraída para as atividades criminosas.

No caso real, Linda foi uma das cúmplices dos assassinatos, mas não recebeu pena por ter sido testemunha-chuva no julgamento.

Jay Duplass e Linas Phillips em cena de “Manson Family Vacation” — Foto: Divulgação

Em 2015, saiu o longa “Manson Family Vacation”. Diferentemente das outras produções aqui citadas, ele não traz nenhum personagem envolvido no caso e nem relembra diretamente a história de todo o crime.

A ligação ali é outra. Um homem, que mora em Los Angeles, recebe a visita surpresa do seu irmão adotivo. Esse irmão é totalmente obcecado por Charles Manson e insiste para que eles saiam em um tour visitando todos os locais onde aconteceram as mortes.

Durante a passagem por um desses pontos, o cara que estava de boa em casa, acaba fazendo uma grande descoberta sobre o real motivo da visita do irmão.

“The Resurrection of Charles Manson”

Frank Grillo em cena de “The Resurrection of Charles Manson” — Foto: Divulgação

Outro filme que é nessa levada de citar o líder da seita em uma trama totalmente inventada é o “The Resurrection of Charles Manson”.

O filme foi lançado em 2023, não chegou no Brasil e ainda não tem título em português.

Mas o que sabemos da história é que enquanto um casal edita um filme sobre Charles Manson, alguns eventos que vão ser retratados nesse longa, começam a acontecer de verdade.

“Era uma vez… Hollywood”

Brad Pitt e Leonardo DiCaprio em primeira foto do filme ‘Era uma vez… Hollywood’, de Quentin Tarantino — Foto: Reprodução/Instagram/Leonardo DiCaprio

Quando “Era uma vez… Hollywood” ainda estava em fase de produção, o nono filme de Quentin Tarantino foi anunciado como um retrato de Charles Manson e a Família. Mas o cineasta explicou que a trama central seria, na verdade, sobre o ano de 1969.

O filme mostra os Estados Unidos daquele ano, em meio a mudanças significativas na indústria cinematográfica.

E a história de ficção, com os personagens de Leonardo DiCaprio e Brad Pitt, tem o assassinato de Sharon Tate como pano de fundo.

Uma das ligações ali é que Rick, que é interpretado por DiCaprio, é vizinho de Roman Polanski e Tate. Margot Robbie é a responsável por interpretar a atriz no longa. No filme, Sharon Tate não morre e os membros da seita são mortos pelos protagonistas vividos por DiCaprio e Pitt.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

antes-e-depois:-imagens-de-satelite-mostram-impacto-de-seca-historica-no-uruguai

G1 Mundo

ANTES E DEPOIS: Imagens de satélite mostram impacto de seca histórica no Uruguai

País enfrenta maior estiagem dos últimos 70 anos. ANTES E DEPOIS: Imagens de satélite mostram impacto de seca histórica no Uruguai — Foto: Nasa Earth Observatory Imagens de satélite divulgadas na quinta-feira (13) pela Nasa e pela Maxar Technologies mostram o impacto da seca que atinge o Uruguai nas últimas semanas. O país enfrenta a maior estiagem dos últimos 70 anos e racionamentos de água já são realidade para boa […]

today15 de julho de 2023 10

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%