G1 Santos

Família ucraniana que fugiu da guerra se emociona com recomeço no Brasil

today1 de setembro de 2022 42

Fundo
share close

Uma família que fugiu da Ucrânia por conta da guerra com a Rússia busca por um ‘recomeço’ em Santos, no litoral de São Paulo. Ao g1, a designer Hainaya Paes Komatsu, de 34 anos, que nasceu na cidade da Baixada Santista, revelou que ela, o marido ucraniano e os três filhos precisam dormir em albergues enquanto não se estabilizam no local.

Além de Hainaya, apenas a filha mais velha do casal, Nicole Komatsu, de 9 anos, é brasileira. O marido, Andrii Viacheslavovich, de 34 anos, e os outros dois filhos, Lev Andriyovich, de 2 anos, e Lis Andriivna, de 10 meses, são ucranianos.

Os cinco estavam entre os 68 refugiados da Ucrânia resgatados por dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) em março. Com medo, eles deixaram a casa em Irpin, cidade localizada na província de Kiev, capital ucraniana, e seguiram rumo à Polônia, antes de pegarem o voo para o Brasil.

Mesmo de volta à cidade natal, Hainaya não tem mais contato com os familiares de sangue. Ela disse que os cinco chegara a passar alguns meses em casas de conhecidos, mas, hoje, se encontram sem-teto.

Não deu certo ficar na casa de colegas porque temos três crianças, fora que a situação [econômica] está difícil para todo mundo. Fomos para albergues e, hoje, estamos acolhidos em uma igreja na cidade



— Hainaya Paes Komatsu, designer

Sem emprego, o casal mantém a família a partir de doações, mas não fica parado. A designer e o marido, que é músico com mestrado na área, buscam por oportunidades. “Estamos correndo atrás. Enviamos currículo para vários lugares. Precisamos de uma chance para ‘alavancarmos’ nossas vidas”.

Família refugiada em Santos, SP, busca por oportunidades para ‘recomeço’ — Foto: Arquivo Pessoal

Ao g1, o marido da brasileira, Andrii Viacheslavovich, revelou não ter sentido medo de um possível recrutamento para a guerra, que não aconteceu por conta do tamanho da família. Segundo ele, o mairo receio maior era perder a chance de acompanhar a vida dos filhos.

Não tive medo de morrer mesmo sem ter treinamento militar algum. O meu medo era não poder ver as minhas crianças crescerem.

— Andrii Viacheslavovich, músico ucraniano refugiado no Brasil

Ainda de acordo com Hainaya, apesar da cidade em que moravam não ter sido atingida, os reflexos da guerra eram visíveis mesmo à distância. “Da janela víamos muitas coisas ruins”.

Uma vez no Brasil, a família não deseja mais voltar à Ucrânia. “Mesmo que acabe, não é tão seguro. Existe o risco das minas, de bombas. A gente mora em uma área que é perto da floresta, então, é perigoso para as crianças”, afirma Hainaya.

Com a decisão de permanecer no país, o objetivo agora é arrecadar mantimentos e, para isso, a família conta com a ajuda da advogada Tidelly Santana, que se solidarizou com os refugiados após conhecer a história.

“A família deixou uma casa, a rotina e a vida para trás, tudo para fugir da guerra. Saíram com dois filhos pequenos e uma recém-nascida nos braços. Como advogada, pretendo dar apoio jurídico no que for necessário e, pessoalmente, pretendo angariar recursos por meio de uma vaquinha on-line para que a família possa se reconstruir”, complementou.

Família refugiada em Santos, SP, conta com ajuda para se manter no local — Foto: Reprodução/Redes Sociais

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

pastor-com-nome-sujo?-juristas-comentam-o-tema

Gospel Prime

Pastor com nome sujo? Juristas comentam o tema

Questionamentos a respeito da credibilidade pastoral, tem ganhado cada vez mais espaço não apenas dentro dos templos, mas também nas redes sociais. Isso é o que afirmam os idealizadores do canal do YouTube chamado Direito Religioso. Jean Regina e Thiago Vieira, são os juristas e idealizadores do canal, cujo objetivo é esclarecer temas a respeito da relação entre o direito e o meio religioso. Em vídeo postado recentemente, os juristas […]

today31 de agosto de 2022 15

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%