G1 Santos

Filho que simulou sequestro disse à polícia que gastaria o dinheiro da mãe com prostituta, bebidas e drogas

today22 de fevereiro de 2024 10

Fundo
share close

O homem, de 33 anos, preso após simular o próprio sequestro e receber R$ 1,5 mil como resgate, disse à polícia que gastaria o dinheiro do golpe aplicado na mãe, de 63, com uma garota de programa, bebidas e drogas, em Peruíbe, no litoral de São Paulo. Ele foi detido em um bar da cidade, enquanto consumia bebida alcoólica com o comparsa no crime.

Conforme apurado pelo g1, nesta quinta-feira (22), antes de começar extorquir o dinheiro da mãe o homem consumiu cocaína e foi beber com o comparsa em uma Adega no bairro Ruínas. Foi no local que começou a ligar para a vítima dizendo que havia sido sequestrado.

De acordo com o boletim de ocorrência (BO), assustada a vítima solicitou a chave Pix do suposto sequestrador. O filho então passou os dados do comparsa e a mulher efetuou duas transferências, de R$ 1 mil e R$ 500 que foram repassadas para a conta do golpista.



Com o dinheiro à disposição, o filho foi acompanhado do parceiro a uma casa noturna, onde contratou os serviços de uma garota de programa e a levou para o quarto.

Consta no BO que o comparsa ficou em uma máquina de jogos, mas logo foi atrás do amigo porque a vítima havia ligado perguntando o motivo da Polícia Civil estar procurando a dupla — a mãe havia feito uma denúncia sobre o sequestro e os policiais começaram as buscas, que resultaram nas prisões.

O filho e golpista, no entanto, não se abalou e continuou com a garota de programa. Quanto deixou o local, resolveu voltar a ligar para a mãe pedindo mais dinheiro, sob a alegação de que seria morto se ela não transferisse. Ele continuou até voltar ao bar, onde foi encontrado e preso com o comparsa.

Após a dupla ter sido detida, a mãe foi acionada para comparecer à delegacia. Aos policiais, ela contou que, inicialmente, o falso sequestrador exigiu R$ 50 mil e, por temer pela vida do filho, realizou duas transferências, de R$ 1 mil e de R$ 500.

Ainda durante as conversas, informou aos agentes já ter sido vítima de agressões físicas do filho. À época dos fatos ela disse ter registrado um boletim de ocorrência, mas, posteriormente, aceitou que ele voltasse a conviver com ela.

A mulher contou, ainda, que o filho é usuário de drogas e já esteve internado duas vezes em clínica de reabilitação. Entretanto, afirmou que ele sofre recaídas e vira uma pessoa perigosa, quando sob efeito dos entorpecentes.

A Polícia Civil contou à equipe de reportagem que o filho fingiu estar em cárcere privado na última terça-feira (20). De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima recebeu diversas mensagens e ligações da dupla, que encenou todo o crime por telefone.

O comparsa, de 25 anos, se apresentou como sequestrador e fazia as ameaças, enquanto o filho implorava à mãe pelo pagamento de resgate para não morrer.

Para salvar o filho, a mulher transferiu R$ 1,5 mil para a dupla. O valor não foi suficiente. Eles continuaram a pedir dinheiro e ameaçá-la. Assustada, a vítima foi procurar ajuda na Delegacia Sede da cidade.

Os investigadores começaram a apurar o caso e logo chegaram ao filho da idosa e ao comparsa. Ambos foram detidos enquanto bebiam em um bar. Os dois, com os celulares usados para aplicar o golpe, foram encaminhados à delegacia. Eles permanecem à disposição da Justiça.

Celulares usados para extorquir a vítima foram apreendidos pela Polícia Civil, em Peruíbe (SP) — Foto: Polícia Civil/Divulgação

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

jovem-morto-em-confronto-com-a-pm-era-deficiente-visual:-‘nao-enxergava-um-palmo-a-frente-do-nariz’,-diz-ouvidor

G1 Santos

Jovem morto em confronto com a PM era deficiente visual: ‘não enxergava um palmo à frente do nariz’, diz ouvidor

Segundo apurado pelo g1 à época, Davi morreu no local. Hildebrando, porém, foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao Hospital do Vicentino, onde permaneceu internado sob escolta policial até morrer no último dia 9 de fevereiro. Um relatório médico de 2016, obtido pela equipe de reportagem, aponta que Hildebrando foi diagnosticado com a doença ceratocone. No documento à época, consta a Baixa Acuidade Visual […]

today22 de fevereiro de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%