G1 Mundo

Forças de defesa de Israel voltam a bombardear a Faixa de Gaza

today3 de dezembro de 2023 5

Fundo
share close

Quatrocentos alvos do grupo terrorista Hamas foram atingidos por ataques israelenses desde o fim da trégua na manhã de sexta (1°). O ministério da Saúde do Hamas diz que 193 palestinos foram mortos e mais de 700 ficaram feridos.

De acordo com as forças de segurança de Israel, os ataques mataram um dos comandantes do Hamas que ajudaram a planejar os ataques terroristas de 7 de outubro contra Israel.

Quatrocentos alvos do grupo terrorista Hamas foram atingidos por ataques israelenses desde o fim da trégua na manhã de sexta (1°), — Foto: Reprodução/ TV Globo



Neste sábado (2) também os terroristas dispararam mísseis contra cidades de Israel, incluindo Tel Aviv. Sirenes soaram no centro do país. Um jovem israelense ficou ferido em Holon.

A Cruz Vermelha afirmou que mais 100 caminhões com ajuda humanitária entraram neste sábado (2) em Gaza, pela fronteira com o Egito, e alertou que os ataques podem dificultar a distribuição.

O Exército israelense acusou o Hamas de violar os termos da pausa humanitária ao atacar Israel e não liberar o número acordado de reféns. E o Hamas condicionou a libertação de mais israelenses mantidos em Gaza — 137, segundo Israel — a uma nova trégua.

Neste sábado, uma manifestação em Tel Aviv, para exigir a libertação dos sequestrados, mostrou que os ânimos dos parentes estão perto do desespero. O grupo das famílias dos reféns exigiu uma reunião com o gabinete de guerra israelense.

Num pronunciamento na noite deste sábado, o primeiro-ministro de Israel disse foi por causa da pressão militar do país, e dos esforços diplomáticos, que os reféns foram libertados. Benjamin Netanyahu falou que continuará a ofensiva até alcançar todos os seus objetivos – eliminar o Hamas e libertar os sequestrados e que para isso a operação terrestre é necessária.

Em entrevista coletiva em Dubai, onde participou da COP 28, o presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que viajaria ao Catar para tentar um acordo para uma nova trégua na Faixa de Gaza.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

quais-sao-as-cidades-mais-caras-e-mais-baratas-do-mundo,-segundo-a-revista-the-economist

G1 Mundo

Quais são as cidades mais caras e mais baratas do mundo, segundo a revista The Economist

Todos os anos, a publicação prepara a lista com base no que um dólar pode comprar em cada uma das cidades que são analisadas. Quanto mais forte for a moeda local, maior será a posição das cidades do país na lista. Isso significa que, quanto mais forte for a moeda, mais cara será a cidade. E quanto mais fraca a moeda, mais barato o local vai figurar na tabela. Em […]

today3 de dezembro de 2023 6

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%