G1 Mundo

Furacão na Flórida: casas estão mais seguras por consciência sobre mudanças climáticas, diz morador

today1 de setembro de 2023 18

Fundo
share close

Quando se mudou para Tampa, nos Estados Unidos, no fim da década de 1990, o empresário norte-americano Matthew Mosk não notou tanta preocupação com furacões, embora a cidade da Flórida seja rota frequente deles – o Idalia, que chegou aos EUA na quarta-feira (30), atingiu uma região de praias a 150 quilômetros de Tampa.

Atualmente, no entanto, a situação é diferente, segundo contou Mosk ao g1.

“Nos últimos anos as pessoas começaram a ficar mais preocupadas por causa das mudanças climáticas. Cada vez que se forma um furacão no Golfo do México a gente já se prepara”, relatou o empresário.



O mercado de construção local, afirmou, já se adaptou à nova realidade, construindo casas mais resistentes.

As mudanças climáticas têm afetado não só a frequência dos furacões como sua intensidade, segundo afirmou o professor de ciências atmosféricas da universidade Stony Book Kevin Reed à agência de notícias Reuters.

A velocidade com que o furacão Idalia se intensificou antes de atingir a Flórida na quarta-feira (30 de agosto), disse ele, é exemplo disso – ele se transformou rapidamente em furacão de categoria 4, em uma escala 5.

“Sempre que fazemos estudos desse tipo com comparação no passado recente, as porcentagens de mudança nas chuvas são notavelmente consistentes. E, assim, posso dizer com bastante confiança que o furacão que acaba de atingir a Florida é mais úmido do que seria sem as alterações climáticas”, disse Reed, especialista em eventos climáticos extremos.

Tirando força das águas quentes do Golfo do México, o Idalia desencadeou ventos destrutivos e chuvas torrenciais, danificando casas e causando cortes de energia e inundações.

Furacão Idalia: entenda como ele se formou

Furacão Idalia: entenda como ele se formou

Ainda como furacão, Idalia passou pela Carolina do Sul e Carolina do Norte. Nos dois estados, o fenômeno causou inundações repentinas em ruas e casas.

Mas foi na Flórida onde a destruição foi maior, principalmente no Big Bend, como é conhecida uma região de praias pouco habitada e por onde o furacão entrou nos EUA, na manhã de quarta-feira.

Pela tarde, autoridades registraram duas mortes “associadas a eventos climáticos”, de motoristas que se chocaram contra árvores.

Veja imagens da passagem do furacão pelos EUA




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

o-que-sao-os-predios-‘sequestrados’-como-o-de-incendio-que-matou-dezenas-de-imigrantes-na-africa-do-sul

G1 Mundo

O que são os prédios ‘sequestrados’ como o de incêndio que matou dezenas de imigrantes na África do Sul

No entanto, estes quarteirões antigos, abandonados pelos seus proprietários ou pelas autoridades municipais, estão cheios de famílias que muitas vezes pagam aluguel aos grupos criminosos que os controlam. Os edifícios, que não têm água corrente, saneamento ou ligação elétrica legal, foram basicamente "sequestrados". Muitas pessoas vivem em apenas um quarto, que muitas vezes costumavam ser escritórios. Incêndios são comuns nestes locais – embora a escala do fogo que atingiu um […]

today1 de setembro de 2023 8

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%