G1 Mundo

Governo argentino tira o capítulo fiscal da lei omnibus para facilitar aprovação, diz ministro

today26 de janeiro de 2024 6

Fundo
share close

O ministro da Economia da Argentina, Luis Caputo, disse nesta sexta-feira (26) que o governo decidiu retirar o capítulo fiscal da chamada lei omnibus, que gerou um grande debate com governadores e parlamentares da oposição, para facilitar e acelerar sua aprovação no Congresso.

Apesar de retirar a parte fiscal da proposta, que incluía uma reforma no cálculo das pensões, uma externalização de ativos não declarados e um aumento de impostos, o governo mantém o objetivo de alcançar o equilíbrio fiscal, disse Caputo em entrevista coletiva na Casa Rosada, em Buenos Aires.

“Isso não significa, de forma alguma, que vamos abandonar nosso compromisso de alcançar o equilíbrio fiscal, nossa meta de déficit zero”, disse Caputo.



“O que estamos buscando é levar tranquilidade para as pessoas e os diferentes atores econômicos de que as duas coisas vão ocorrer: não se vai deixar de cumprir a meta de déficit zero e, ao fazer isso, facilitaremos a aprovação da parte mais importante da lei”, afirmou.

A lei omnibus é um pacote abrangente de reformas que vai desde aumentos de impostos até privatizações que enfrentou obstáculos para sua aprovação porque o partido governista tem minoria nas duas casas do Congresso.

O presidente libertário Javier Milei, que assumiu o cargo em dezembro, tenta reanimar a terceira maior economia da América Latina, que tem uma das taxas de inflação mais altas do mundo e um nível de pobreza de mais de 40%.

Caputo, que confirmou que assumirá a área de infraestrutura em seu portfólio após a saída do ministro Guillermo Ferraro, disse que, após uma inflação de mais de 200% em 2023, a alta de preços diminuiu “acentuadamente” nas últimas duas semanas.

Javier Milei — Foto: Tomas Cuesta/Reuters




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

donald-trump-deve-pagar-a-e.-jean-carroll-cerca-de-us$-83,3-milhoes-em-caso-de-difamacao

G1 Mundo

Donald Trump deve pagar a E. Jean Carroll cerca de US$ 83,3 milhões em caso de difamação

O júri composto por sete homens e duas mulheres precisou de menos de três horas para chegar ao veredicto. O valor foi além do que Carroll pedia, que era em torno de US$ 10 milhões (R$ 49 milhões). Trump é condenado a pagar US$ 83,3 milhões a escritora da qual havia abusado sexualmente O júri concedeu-lhe US$ 18,3 milhões (R$ 89,96 milhões) em danos compensatórios e aproximadamente US$ 65 milhões […]

today26 de janeiro de 2024 3

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%