G1 Santos

Grávida picada por aranha venenosa e que teve a pele necrosada dá à luz e respira aliviada: ‘nasceu super saudável’

today16 de maio de 2024 8

Fundo
share close

A bacharel em Direito, que tem seis tatuagens de aracnídeos pelo corpo, foi picada na perna direita e teve parte da pele necrosada em decorrência do veneno. “Eu fiquei com muito medo e tive crise de ansiedade no hospital, com medo de afetar a bebê”. A menina nasceu em Apiaí (SP).

A mãe relatou ter ficado mais tranquila só na reta final da gestação, quando os exames constataram que a filha estava bem e a picada do aracnídeo não atrapalharia o parto.

Apesar de estar aliviada e curtindo os primeiros dias de vida da bebê, a picada da aranha trouxe traumas para Ketisley. Ela, que sempre gostou de aracnídeos e tatuou seis pelo corpo, mudou de ideia. “Agora, eu tenho medo”, afirmou.



Outra preocupação de Ketisley era a possibilidade de amputar a perna, que estava com parte da pele necrosada. Os antibióticos conseguiram diminuir e evitar o risco, mas não acabaram com a necrose e ela continua com uma cicatriz. (veja na imagem acima)

Moradora de Apiaí (SP) continua com cicatriz de necrose após ser picada por aranha enquanto estava grávida — Foto: Arquivo pessoal

Em 5 de janeiro, Ketisley viu uma aranha-marrom subir na perna. A reação dela foi matar a aranha e tirar uma foto para tentar identificar a espécie. Em seguida, a jovem foi até o Hospital Doutor Adhemar de Barros, onde tomou um antibiótico e foi orientada a tomar um remédio para dor.

No dia seguinte, Ketisley começou a ter reações fortes em decorrência do veneno da aranha. Os sintomas eram manchas vermelhas, dores fortes e coceira intensa pelo corpo. Ela foi internada no hospital no dia 9 de janeiro e liberada três dias depois, quando o quadro clínico foi normalizado.

Quatro das seis tatuagens da grávida picada por aranha venenosa em Apiaí (SP). Outras duas, são na região das nádegas — Foto: Arquivo pessoal

De acordo com a gestante, os médicos acionaram o Instituto Butantan e constataram que tratava-se de uma aranha-marrom. Ela afirmou, porém, que não recebeu o soro antiaracnídico.

Em nota, o Hospital Doutor Adhemar de Barros explicou à equipe de reportagem que a paciente não apresentava alterações no quadro clínico e, por este motivo, não entrou no critério do protocolo do Grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo para receber o soro antiaracnídico.

Parte da pele de gestante ficou necrosada em decorrência do veneno da aranha-marrom — Foto: Arquivo pessoal

O biólogo Daniel Bortone afirmou ao g1 que aranhas-marrons (Loxosceles sp) não é uma espécie agressiva e não consegue picar humanos. “Os acidentes acontecem quando a pessoa espreme a aranha contra o corpo, assim ocorrendo a inoculação [introdução] da peçonha”, informou.

Segundo o biólogo, o recomendado é buscar atendimento médico caso seja picado por qualquer aranha. “Normalmente as pessoas tendem a achar que, por serem pequenas, essas aranhas podem não ser perigosas”.

Bortone ressaltou que a ação causada pela peçonha demora a mostrar os primeiros sintomas nos seres humanos.

“Quanto antes a pessoa tomar o soro, melhor. O que o acidentado deve fazer é lavar bem o local com água e sabão, beber bastante água e procurar atendimento médico imediatamente. Se possível, levar a aranha em um pote”.

Aranha-marrom (Loxosceles gaucho) é uma aranha do gênero Loxosceles. — Foto: Domínio Público

Um estudo conduzido no Hospital Vital Brazil, do Instituto Butantan, publicado na revista PLOS Neglected Tropical Diseases, comprovou que o soro antiaracnídico é capaz de reduzir o risco de necrose na pele, causada pelo veneno da aranha-marrom, principalmente se aplicado nas primeiras 48h após o acidente.

Segundo o Instituto Butantan, a necrose no local da picada é uma das manifestações mais comuns do envenenamento. O estudo, de acordo com a instituição, foi o primeiro a avaliar, em humanos, a capacidade do soro antiaracnídico de evitar necrose em casos de picada de aranha-marrom.

Uma pesquisa anterior com modelos animais havia mostrado que o antiveneno reduzia as lesões necróticas em 30%, mesmo sendo administrado 48h após a injeção do veneno.

Dicas para evitar acidentes com aranhas em casa:

  • Sempre olhar roupas antes de vestir e toalhas antes de se secar;
  • Bater os calçados para ver se não há nenhuma dentro;
  • Evitar deixar o lençol e cobertas da cama encostando no chão, que elas podem usar para subir na cama;
  • Vedar vãos de portas e janelas e buracos na parede casa.

VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

robert-fico,-primeiro-ministro-da-eslovaquia,-foi-operado-e-nao-corre-mais-risco-de-vida,-diz-vice

G1 Mundo

Robert Fico, primeiro-ministro da Eslováquia, foi operado e não corre mais risco de vida, diz vice

Fico foi atingido no abdômen e no braço. O vice-primeiro-ministro, Tomas Taraba, afirmou à rede inglesa BBC que as notícias do hospital são boas: "Pelo que eu sei, felizmente a operação foi bem, e acho que no fim das contas ele vai sobreviver, ele não corre risco de vida neste momento". Segundo Taraba, uma bala atravessou a barriga de Fico, e outra atingiu uma articulação. A operação no primeiro-ministro terminou […]

today15 de maio de 2024 4

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%