Prefeitura de Guarujá

Grupo Caravela Negra promove Evento Internacional de Capoeira no Tejereba

today2 de dezembro de 2022 17

Fundo
share close

Além dos grupos da região e do estado de São Paulo, o evento contará com a presença de representantes do Uruguai, França, Portugal e Rússia

O grupo Caravela Negra estará realiza neste fim de semana, nos dias 3 e 4, Evento Internacional de Capoeira, no Centro Esportivo Duque de Caxias, o Tejereba (Praça Horácio Lafer, s/n – Jardim Tejereba). As atividades terão início às 10 horas.

A programação do sábado (3) prevê várias apresentações, seguidas de homenagens, peças teatrais e rodas de conversa com mestres de outros municípios e países. As atividades contarão com a presença de representantes do Uruguai, França, Portugal e Rússia. O término está previsto para às 15h30.

No domingo (4), entre 10 e 16 horas, a organização preparou a entrega de graduações. A previsão é que estejam presentes aproximadamente 95 capoeiristas da Caravela Negra, 65 de outros grupos e um público estimado de 150 pessoas.

Os responsáveis pela organização são o mestre Trovão e a professora Pimenta. A entrada será 1kg de alimento não perecível. O total arrecadado será doado para o Fundo Social de Solidariedade do Município. O evento conta com o apoio da Prefeitura de Guarujá, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Sel).






Todos os créditos desta notícia pertecem a Prefeitura de Guarujá.

Por: Tiphany

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

operacao-internacional-desmantela-rede-que-explorava-mulheres-latino-americanas-na-franca

G1 Mundo

Operação internacional desmantela rede que explorava mulheres latino-americanas na França

As vítimas, com idades entre 20 e 40 anos, eram "principalmente colombianas e venezuelanas, mas também peruanas e paraguaias", disse nesta sexta à AFP a comissária Elvire Arrighi, diretora do Escritório Central de Repressão ao Tráfico de Pessoas (OCRTEH). "[As mulheres] eram exploradas de forma absolutamente industrial na França, com até dez serviços por dia, o que permitiu à rede faturar até 30 milhões de euros (cerca de R$ 163 […]

today2 de dezembro de 2022 9

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%