G1 Mundo

Holanda pede perdão por escravidão; ex-colônias exigem reparação

today19 de dezembro de 2022 14

Fundo
share close

A Holanda pediu perdão oficialmente nesta segunda-feira (19) pelo papel histórico que o país exerceu na escravidão e no tráfico de escravos. O pedido foi feito em uma cerimônia pelo primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, no Arquivo Nacional do país, em Haia.

“Hoje peço desculpas”, disse Rutte. “Durante séculos, o estado holandês e seus representantes permitiram e estimularam a escravidão e lucraram com isso. É verdade que ninguém vivo hoje carrega qualquer culpa pessoal pela escravidão. (No entanto) o estado holandês carrega a responsabilidade pelo imenso sofrimento que foi feito para aqueles que foram escravizados e seus descendentes.”

O premiê anunciou ainda que o governo estabelecerá um fundo para iniciativas que ajudarão a combater o legado da escravidão na Holanda e em suas ex-colônias.



O discurso do primeiro-ministro é uma resposta a um relatório publicado no ano passado por um conselho consultivo nomeado pelo governo. O documento fez as seguintes recomendações:

  • Um pedido formal de desculpas
  • O reconhecimento de que o tráfico de escravos e a escravidão do século XVII até a abolição que aconteceram direta ou indiretamente sob a autoridade holandesa foram crimes contra a humanidade.
  • O reconhecimento de que o que o relatório chamou de racismo institucional na Holanda “não pode ser visto separadamente de séculos de escravidão e colonialismo e das ideias que surgiram nesse contexto”.

Em paralelo, ministros holandeses se espalharam em visitas a ex-colônias como o Suriname e países que ainda compõem o Reino dos Países Baixos – Aruba, Curaçao e Sint Maarten -, além de três ilhas caribenhas que são oficialmente municípios especiais na Holanda – Bonaire, Sint Eustatius e Saba .

Antes da cerimônia, ativistas foram à Justiça para tentar fazer com que Rutte adiasse a cerimônia. Os grupos queriam que o pedido fosse feito apenas no aniversário de 160 anos da abolição da escravatura no país, em 1º de julho de 2023, mas os tribunais travaram a tentativa de bloquear o discurso.

“Sabemos que não existe um momento bom para todos, palavras certas para todos, lugar certo para todos”, disse Rutte.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

investigacao-sobre-invasao-ao-capitolio-dos-eua-faz-audiencia-final;-relembre-principais-conclusoes

G1 Mundo

Investigação sobre invasão ao Capitólio dos EUA faz audiência final; relembre principais conclusões

Comissão da Câmara dos Estados Unidos investiga há um ano e meio o caso, no qual apoiadores de Donald Trump invadiram o Congresso dos EUA contra resultados das eleições. Deputados devem recomendar julgamento contra Trump. Comissão do Congresso dos EUA que investiga invasão ao Capitólio em janeiro de 2021 exibe vídeo de Trump em que ele se recusa a dizer que eleições haviam terminado, em 21 de julho de 2022. […]

today19 de dezembro de 2022 20

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%