G1 Mundo

Homem condenado à morte por asfixia por nitrogênio aguarda resposta da Justiça a último recurso contra execução, marcada para esta quinta-feira no Alabama

today25 de janeiro de 2024 5

Fundo
share close

A execução não teve horário divulgado. Segundo a imprensa americana, pode ocorrer entre a meia-noite desta quinta e as 6h de sexta (26).

Ainda há uma instância que pode decidir o futuro de Smith: a Corte de Apelações do 11º Circuito, na Justiça Federal.

Na terça-feira (23), a defesa de Smith afirmou à Corte que ele está vomitando muito e que isso aumenta o risco de complicações. No dia seguinte, o juiz encarregado do caso afirmou, ao ser ouvido pela Corte, que isso não muda nada e que esse não é motivo para interromper a execução.



Sem uma decisão, o Alabama irá prosseguir com a pena de morte para Smith.

Os advogados do condenado afirmam que o Estado está usando o cliente deles em uma execução experimental, como cobaia, e que o plano de usar uma máscara coloca o homem em risco de ele se engasgar no próprio vômito ou ter uma morte dolorida.

Ele já argumentou na Justiça que seria inconstitucional tentarem executá-lo uma segunda vez, mas a Suprema Corte rejeitou esse argumento.

Estado do Alabama, nos EUA, deve executar homem com método considerado cruel

Estado do Alabama, nos EUA, deve executar homem com método considerado cruel

As injeções letais são o método mais comum de execução nos EUA, mas agora alguns estados onde há pena de morte têm enfrentado dificuldade para encontrar as drogas.

A primeira morte por injeção letal nos EUA aconteceu em 1982. Desde então, nenhum novo método foi introduzido.

Como funciona a asfixia por nitrogênio

Nesse método novo, o condenado vai usar uma máscara que serve como um respirador, que cobre a boca e o nariz. Essa máscara está ligada a um cilindro de ar que tem apenas um tipo de gás, o nitrogênio. Dessa forma, o condenado não recebe oxigênio em seu pulmão.

Os estados do Alabama, Mississippi e Oklahoma autorizaram esse método de execução, mas essa é a primeira vez que a asfixia por nitrogênio vai ser efetivamente usada.

Na Justiça federal, a discussão é em torno da humanidade e os riscos desse método. Na Constituição dos EUA há a proibição a punições cruéis e incomuns.

Os advogados de Smith dizem que ainda há muitos fatores desconhecidos e que pode haver problemas. O advogado Robert Grass afirmou que essa é a primeira vez que isso será usado e “não há informações sobre o que vai acontecer exatamente e como a ação vai se dar”.

Segundo o estado, o gás vai fazer com que Smith perca a consciência em segundos e vai morrer em minutos.

Smith e um outro homem foram condenados pelo assassinato encomendado da esposa de um pastor, em 1988. O assassinato aconteceu em uma pequena cidade no Alabama.

John Forrest Parker, o outro homem condenado pelo assassinato, foi executado em 2010.

Os promotores afirmaram que ele e o outro homem receberam US$ 1.000 para matar Elizabeth Sennett a pedido do marido dela, que estava endividado e queria receber o dinheiro do seguro de vida da mulher.

Elizabeth tinha 45 anos. Ela foi encontrada morta em 18 de março de 1988 em sua casa com oito perfurações no peito e uma de cada lado do pescoço, de acordo com o legista. Seu marido, Charles Sennett Sr., se suicidou quando a investigação o identificou como suspeito.




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

idoso-com-doenca-rara-que-faz-surgir-bolhas-pelo-corpo-morre-esperando-por-exame-no-litoral-de-sp

G1 Santos

Idoso com doença rara que faz surgir bolhas pelo corpo morre esperando por exame no litoral de SP

Um idoso, de 65 anos, morreu sem ter a oportunidade de começar um tratamento. Os problemas surgiram há três meses, em forma de bolhas pelo corpo. Só recentemente ele foi diagnosticado com pênfigo, doença autoimune considerada rara e grave. Ao g1, a família do morador de São Vicente, no litoral de São Paulo, criticou a falta de agenda de profissionais e a indisponibilidade para exames. O filho informou que pretende […]

today25 de janeiro de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%