G1 Santos

Homem sobrevive após levar dezenas de ferroadas de abelhas no litoral de SP

today6 de dezembro de 2023 6

Fundo
share close

Um homem de 54 anos foi socorrido em estado grave para um pronto-socorro de São Vicente, no litoral de São Paulo, após levar aproximadamente 50 ferroadas de abelhas. Segundo apurado pelo g1 nesta quarta-feira (6), ele estava em um conjunto habitacional no bairro Humaitá no momento do ataque.

O caso ocorreu quando a vítima estava sentada em um campo no interior do conjunto. Em determinado momento, alguns homens se aproximaram e foram cortar uma árvore. Eles não viram a colmeia e, com isso, o enxame se agitou e atacou a vítima.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) compareceu ao local e conduziu o homem ao Pronto-Socorro (PS) do Humaitá, ainda consciente. Ele ficou sob os cuidados da equipe médica da unidade de saúde.



Questionada sobre o estado de saúde do paciente, a Prefeitura de São Vicente afirmou que os profissionais de saúde são proibidos de dar informações.

Ao g1, o médico alergista e professor da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) Fabrício Afonso afirmou que uma pessoa pode ter reações locais inflamatórias dolorosas, mas sem complicações maiores. Se existe suscetibilidade à alergia, seja por questões genéticas ou exposição prévia, as reações podem ser mais extensas.

O paciente pode desenvolver urticária, inchaço nos lábios e pálpebras ou até mesmo anafilaxia – forma mais grave de alergia. O choque anafilático é o estágio terminal da condição e ocorre antes de uma eventual parada cardiorrespiratória, que pode evoluir para a morte.

“Se o indivíduo sabe que tem o quadro alérgico simples, deve tomar algum cuidado com exposições em ambiente de praia, no campo, com alimentos, odores, fragrâncias […] Odores adocicados e florais são chamariz [chamam a atenção]”, disse o especialista.

Quando o paciente leva muitas ferroadas ao mesmo tempo, há uma reação por excesso de toxinas liberadas na corrente sanguínea, caracterizando o que o médico chamou de “processo inflamatório brutal”.

Se a pessoa já levou uma ferroada e sabe que tem reações leves, deve levar consigo ao menos um antialérgico. Se teve reações graves, um dispositivo de adrenalina autoinjetável. Consultar um alergista periodicamente também é muito importante.

Em casos mais graves, a orientação é deitar no chão com as pernas para cima – para aumentar o fluxo de sangue ao cérebro – e acionar socorro. O ímpeto de tirar o ferrão deve ser contido, pois ligada a ele está a parte terminal do abdômen da abelha, que concentra o veneno. Tente puxar o ferrão de baixo para cima sem espremer com auxílio de algum objeto.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Santos.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

essequibo:-maduro-propoe-lei-para-criar-provincia-da-venezuela-em-area-da-guiana-e-ordena-que-estatal-de-licencas-para-explorar-petroleo-na-area

G1 Mundo

Essequibo: Maduro propõe lei para criar província da Venezuela em área da Guiana e ordena que estatal dê licenças para explorar petróleo na área

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, propôs à Assembleia Nacional do país nesta terça-feira (5) a criação de leis para criar uma província venezuelana em Essequibo, uma área que hoje é da Guiana, mas que é disputada pelos dois países. Além disso, ele também ordenou que a estatal petroleira venezuelana PDVSA conceda licenças para a exploração de petróleo e gás na região. Maduro entregou ao presidente da Assembleia Nacional, Jorge […]

today5 de dezembro de 2023 14

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%