G1 Mundo

Israel bombardeia escola de agência da ONU em Gaza, e 40 morrem, segundo autoridades locais

today6 de junho de 2024 5

Fundo
share close

Segundo o governo local, controlado pelo Hamas, 40 pessoas morreram, entre elas cinco crianças. Já o Exército israelense falou que houve entre 20 e 30 mortos.

As Forças Armadas de Israel admitiram ter atingido o local, mas alegaram que alvejavam terroristas do Hamas que estavam no interior da escola e foram mortos na ofensiva. Já a UNRWA negou e afirmou que a instituição vinhas servindo para abrigar palestinos deslocados por conta da guerra.

O ataque aconteceu em um campo de refugiados de Nuseirat, que fica na região central da Faixa de Gaza.



A escola é administrada pela agência da ONU para Refugiados Palestinos (UNRWA) e, segundo a ONU, oferece aulas a crianças do campo de refugiados — que originalmente abriga palestinos que vivam em territórios transformados no Estado de Israel em 1948.

Segundo as Forças Armadas de Israel, caças do Exército realizaram um “ataque preciso” em uma unidade do Hamas que ficava dentro da escola.

“Os terroristas dirigiram sua campanha de terror a partir da zona da escola, explorando-a e usando-a como refúgio”, disse um comunicado do Exército de Israel.

Palestinos observam escola de agência da ONU em Nuseirat, na região central de Gaza, destruída em ataque de Israel no dia 6 de junho de 2024 — Foto: Bashar Taleb/AFP

Palestinos ao lado de familiares mortos em bombardeio israelense em Nusseirat, em 6 de junho de 2024 — Foto: Abdel Kareem Hana/AP

Já as autoridades da Faixa de Gaza, controladas pelo Hamas, acusaram as forças israelenses de terem cometido “um massacre horrível”. “Um número considerável de mártires e feridos continuam chegando ao hospital de Al-Aqsa”, afirmou o governo local.

Segundo a agência de notícias Associated Press, o hospital disse ter recebido 30 corpos em consequência do bombardeio à escola. Além disso, outras seis pessoas morreram em um outro ataque na região.

Já a ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) disse que o mesmo hospital recebeu cerca de 70 mortos e 300 feridos desde terça-feira (4). A organização afirmou que a maioria dos pacientes é composta por mulheres e crianças alvos de bombardeios.

“O cheiro de sangue na sala de emergências esta manhã era insuportável. Há pessoas deitadas por todos os lados, no chão, fora. Estão trazendo os corpos em sacos plásticos. A situação é insustentável”, afirmou a coordenadora da MSF em Gaza, Karin Huster.

VÍDEOS: mais assistidos do g1




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

Notícias

O cálculo eleitoral de Biden ao restringir imigração ilegal na fronteira com México

A ordem executiva emitida pelo presidente Joe Biden prevê que as pessoas que cruzarem ilegalmente a fronteira EUA-México não receberão asilo. Mas isto só ocorrerá quando a fronteira sul estiver "sobrecarregada". Isso também tornará mais fácil para que os oficiais de imigração removam pessoas que estão ilegalmente nos Estados Unidos. Essas ações não são permanentes e não serão aplicadas quando a passagem de migrantes for suficientemente baixa para que as operações fronteiriças sejam seguras e geridas de maneira "eficaz". Os […]

today6 de junho de 2024 2

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%