G1 Mundo

Janja diz que Lula ‘se referiu ao governo genocida, e não ao povo judeu’ ao comparar ação de Israel em Gaza ao Holocausto

today19 de fevereiro de 2024 3

Fundo
share close

A primeira-dama do Brasil, Janja Lula da Silva, usou uma rede social nesta segunda-feira (19) para defender as falas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a respeito da guerra entre Israel e o grupo terrorista islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

No domingo (18), Lula comparou ações de Israel em Gaza ao Holocausto – extermínio de judeus na Segunda Guerra Mundial, promovido pela Alemanha nazista.

“Não perdoaremos e não esqueceremos — em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel, informei ao Presidente Lula que ele é uma ‘persona non grata’ em Israel até que ele peça desculpas e se se retrate”, escreveu o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, nas redes sociais.



Na postagem na rede social X (antigo Twitter), Janja disse ter “orgulho” do marido – “que, desde o início desse conflito na Faixa de Gaza, tem defendido a paz e principalmente o direito à vida de mulheres e crianças, que são maioria das vítimas”.

“A fala se referiu ao governo genocida e não ao povo judeu. Sejamos honestos nas análises”, disse Janja sobre a fala de Lula.

Lula compara guerra em Gaza com ações de Hitler

Lula compara guerra em Gaza com ações de Hitler

Janja ainda afirmou que Lula também teria se solidarizado com o direito à vida do povo judeu caso tivesse vivido no período da Segunda Guerra Mundial.

Nesta segunda-feira, o presidente esteve reunido com o seu assessor especial para assuntos internacionais, Celso Amorim, o ministro das Comunicações, Paulo Pimenta, e outros integrantes do governo para avaliar a resposta ao mal-estar deflagrado pela fala de Lula.

'O que o presidente Lula fez foi ofender Israel', diz Daniel Sousa

‘O que o presidente Lula fez foi ofender Israel’, diz Daniel Sousa

A principal consequência foi uma reprimenda feita pelo governo de Israel ao Brasil durante convocação do embaixador brasileiro em Tel Aviv, Frederico Meyer.

Na saída, o chanceler de Israel, Israel Katz, disse que Lula é “persona non grata” em solo israelense até se retratar, e que ninguém irá comprometer o direito que Israel tem de se defender.

Frederico Meyer também foi levado para uma visita ao Museu do Holocausto para que visse os crimes cometidos durante o período nazista.

Alckmin afirma que Lula 'quer a paz' após fala do presidente sobre Israel

Alckmin afirma que Lula ‘quer a paz’ após fala do presidente sobre Israel




Todos os créditos desta notícia pertecem a G1 Mundo.

Por: G1

Esta notícia é de propriedade do autor (citado na fonte), publicada em caráter informativo. O artigo 46, inciso I, visando a propagação da informação, faculta a reprodução na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos.

Avalie

Post anterior

as-exigencias-de-israel-sobre-refens-em-gaza-em-ultimato-ao-hamas

G1 Mundo

As exigências de Israel sobre reféns em Gaza em ultimato ao Hamas

É a primeira vez que Israel informa quando suas tropas podem entrar na cidade ao sul da Faixa de Gaza, onde estão refugiados cerca de 1,5 milhão de palestinos. Há uma oposição cada vez mais forte a nível mundial contra um ataque do tipo em Rafah. A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que não foi autorizada a entrar no hospital, localizado em Khan Yunis, ao norte de Rafah, para […]

today19 de fevereiro de 2024 7

Publicar comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


0%